CUIDADO COM O MOSQUITO E SOLTE OS MACACOS.

por Karla Palma Portes

Tenho recebido muitas perguntas inbox a respeito da vacinação contra a febre amarela. Notícias desencontradas podem piorar ainda mais a situação. Então, segue algumas observações:

1- NÃO ENTRE EM PÂNICO!!!! Os casos confirmados aconteceram nas regiões do extremo da zona norte e da zona sul e algumas cidades em torno. Regiões com áreas de mata. Portanto se você mora em regiões centrais, zona oeste, zona leste, não precisa sair feito doido atrás da vacina. Aliás, ir nos postos das áreas endêmicas para tomar vacina é tirar a prioridade de quem realmente precisa

2- Desde 2013, a organização mundial de saúde recomenda que seja realizada apenas uma dose da vacina contra a febre amarela. Aqui no Brasil, adotou-se essa medida desde o ano passado. Não é uma medida econômica, nem sacanagem do Alckmin ( não dessa vez). É baseado em estudos e acompanhamento de pessoas vacinadas. Portanto se você já tomou a vacina alguma vez, não precisa tomar novamente.

3- A vacina fracionada não é mais fraca e vai imunizar você contra a febre amarela por pelo menos oito anos, essa sim terá que ter dose de reforço futuramente.

4- A VACINA NÃO É PARA TODOS! Alergia a ovo, idosos, pessoas com diabetes descompensado, bebês com menos de 9 meses, fazendo quimioterapia ou usando corticóides devem evitar tomar a vacina. Na dúvida, consulte seu médico!

5- Macacos não transmitem febre amarela. Matar ou agredir macacos é tão ridículo e criminoso como agredir e matar moradores de zonas endêmicas! Quem transmite é o mosquito! A prevenção mais efetiva é o uso de repelentes, rede de proteção em janelas e portas e sobretudo evitar água parada em casa- mutirão para combater focos do mosquito, gente!

6- Muitos países exigem a carteira internacional de vacinação contra a febre amarela. Agora que está em evidência, talvez mais países vão exigir, informe-se! Existem alguns lugares que fazem a vacinação exclusivamente para viajantes ( mediante comprovação) e emitem a carteirinha internacional. É recomendado vacinar com pelo menos um mês de antecedência.

  • Karla Palma Portes– médica otorrinolaringologista e professora universitária.
Categorias
Saúde
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish

Relacionado com