Carta de São Lourenço – Fora Nestlé! A água é nossa!

Confira o manifesto das mulheres do MST sobre a ação de denúncia contra a multinacional Nestlé

Após ação de 600 militantes em mais um ato da Jornada Nacional de Luta das Mulheres, as mulheres Sem Terra divulgaram manifesto contextualizando o ato na multinacional Nestlé. “Temer colocou a água, o Aquífero Guarani e nossa soberania popular num balcão de negócios”, afirmam na carta. Confira a íntegra:

Carta de São Lourenço – Fora Nestlé! A água é nossa!

Na manhã do dia 20 de março, cerca de 600 mulheres do MST ocuparam a unidade da Nestlé Waters em São Lourenço/MG para denunciar a privatização da água, negociada entre as grandes corporações do capital, como Nestlé, Coca Cola, Danone e o governo golpista de Michel Temer.

Denunciamos!

Temer colocou a água, o Aquífero Guarani e nossa soberania popular num balcão de negócios. E neste momento, no 8º Fórum Mundial da Água, de 18 a 23 de março em Brasília, está vendendo nossos bens naturais, nossa água, nossa vida, às custa de nossa sede, de nossos corpos doentes e contaminados, de nossos corpos tombados nos conflitos de terra e água em todo Brasil.

Nestlé já secou duas fontes minerais em São Lourenço, através da super exploração da extração de água mineral. Arranca lucro extraordinário com a exportação dessa commoditie e deixa migalhas no Brasil. Em 2016, deixou míseros R$ 563 mil para o município, sendo que seu volume de comercialização neste ano foi de 19 milhões de litros de água engarrafada. Além disso desenvolve atividade criminosa de desmineralização da água, o que é proibido pela Constituição brasileira, adicionando sais minerais de sua patente.

Quem bebe água da Nestlé, bebe uma água química que pode conter bactérias e causar graves danos à saúde. A água em garrafas carrega micro plásticos, além de todo lixo e poluição gerados por sua ação predatória.

Viemos da lama da Samarco/Vale, que matou 19 pessoas, deixou milhares sem água e doentes por contaminação.

Viemos do Rio Doce. Somos 500 mil pessoas ao longo de 670 km. Somos os 39 municípios que ficaram sem água.

Viemos da zona da mata, vitimadas pela Anglo American, criminosa, que nos adoece e mata.
Somos Paulo Sérgio Almeida, líder comunitário assassinado em Barcarena/PA por denunciar a contaminação das águas do seu povoado pela mineradora Hydro Alunorte.

Somos também Marielle Franco, mulher rebelde, força de aroeira que se multiplica em todas nós que seguimos lutando.

Essa ação das mulheres Sem Terra contra a Nestlé é um ato de defesa da vida, que se junta com outras lutas em curso no país e também com os lutadores e lutadoras que estão no FAMA – Fórum Alternativo Mundial da Água, que ocorre também em Brasília, de 17 a 22 de março.

Ao final do nosso ato político em São Lourenço tentaram nos calar, nos prender, nos imobilizar. Mas, seguimos despertas e em luta, denunciando os verdadeiros criminosos. Nunca calarão nossa voz!!

Fora Temer!! Fora Nestlé!! A água é nossa!!

* Reprodução do site do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – mst.org.br

Categorias
águaDestaquesMST
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish