CARTA ABERTA DOS ESTUDANTES AO POVO PAULISTA

NAB_1891
Nicole Miranda, presidente do grêmio da E.E. Maestro Fabiano Lozano lê a carta aberta aos estudantes e ao povo paulista – Foto: Christian Braga / Jornalistas Livres

 

Foram quatro dias de ousadia, resistência e luta. Pela primeira vez na história da ALESP e do Estado de São Paulo o povo se viu representado neste importante espaço. Nós jovens, negros, mulheres ao lado do povo e toda sua diversidade, ocupamos o plenário do poder legislativo, ensinamos e aprendemos muito. Resistimos. Mesmo com toda a desinformação, truculência e terror psicológico nos mantivemos inabaláveis e convictos da legitimidade do nosso movimento. O que nos move é apenas a fome e o desejo de ter uma escola e uma educação que atenda as necessidades de desenvolvimento, emancipação e dignidade de todas e todos.
Conquistamos a mais importante vitória que um movimento pode ter: A opinião de todos vocês. Recebemos o apoio e o carinho de mães, pais, professores, trabalhadores, funcionários da ALESP, artistas, intelectuais, autoridades e os mais diversos setores da sociedade, o que fez toda a diferença para nós.
Tomamos um duro golpe da justiça. Nós que não conseguimos nem comprar o lanche na cantina, não aceitaremos que nossos pais paguem pela corrupção. Há meses travamos uma luta democrática contra o ladrão de merenda. Sabemos o valor que tem a democracia e a importância de se respeitá-la.
Apesar de não ter repressão e violência policial, o governo decidiu pela truculência econômica. Por isso, nossa decisão coletiva foi desocupar a ALESP. Não recuamos, não desistimos e nada vai nos calar. Nossa luta, graças a essa ocupação, atingiu um patamar histórico.
Através da nossa ocupação começamos a escrever mais um grande capítulo da história do Brasil, depois de muito tempo o povo pautou o principal parlamento estadual do país.
Paralisamos o estado de São Paulo, o Brasil e o mundo travando os trabalhos da ALESP para que todos os deputados nos ouvissem nesse momento. Na próxima semana estaremos aqui novamente cobrando que cada deputado ouça a nossa voz, a voz de milhares de estudantes secundaristas que há meses estão sem merenda.
Seguiremos em luta intensa pela abertura da CPI, pela punição dos ladrões de merenda e pela escola dos nossos sonhos.
Apenas começamos!
MUITO OBRIGADO PELO APOIO DE TODAS E TODOS.

POSTS RELACIONADOS