Os capitães do mato da Terceirização. Nada pessoal, apenas negócios​?

A imprensa fala que a terceirização é um grande negócio. Vender a força de trabalho e não ser nem mesmo empregado, óbvio.

Mas claro. Quem inventou os direitos trabalhistas, quem lutou para consolidar o que no sistema imperialista faz nenhum sentido ter. A razão do congresso aprovar a terceirização é simples de entender.

A primeira bancada terceiriza o direito a terra, a outra a educação e saúde pública, outra o direito a religiosidade e no meio de tudo isso, aos empresários e seus caixas dois o Supremo acha que é ponto de vista uma palavra que chamaria limite da legalidade. Doações ilegais como propina é para comprar o selo de honestidade de uma política imunda e em um golpe de estado acontecendo de verdade.

“Doações ilegais como propina é para comprar o selo de honestidade de uma política imunda e em um golpe de estado acontecendo de verdade”

Estamos retrocedendo. A terceirização é uma volta das antigas formas de produção, em que se misturava a falta de leis do trabalho e resquícios da escravidão. O importante é manter o lucro? Empregado vale menos que o patrão. E você ai? Batendo cartão. Já já não tem nem carteira de trabalho para ter fundo de garantia garantindo a habitação.

Então. O que realmente estamos dispostos. Reforma ou Revolução?.Então. O que você realmente quer? Acreditar no congresso, no judiciário e esperar que um novo governo concilie essa confusão.

 

Leonardo Koury é Professor, Assistente Social e Militante dos Jornalistas Livres.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Eu, jornalista terceirizado

* Fagner Torres   Costumo dizer que entre as questões menos nobres que regem o setor midiático – o jabá, a promiscuidade entre as famílias