Terrorismo de Bolsonaro trava concursos e números desmentem aumento do gasto de pessoal

A coluna comenta a greve dos petroleiros e falta de mesa de negociação para evitar desemprego em massa na Petrobrás.Esta série desmonta a versão do aumento do gasto com pessoal, veja que esta despesa frente ao percentual do PIB tem se mantido estável. em 1997, era 4,2% e em 2019 chegou a 4,3%.

A coluna dia a dia do desgoverno, aponta o terrorismo do des-presidente em proibir concursos públicos enquanto não for aprovada a reforma administrativa, que prevê o fim da estabilidade e impede de servidores terem filiação partidária.

Há mais de 800 professores que passaram em concursos nas universidades federais que não serão chamados agora, e alguns deixaram o emprego e ficaram desempregados. E quantos policiais e médicos não estarão na mesma situação. Vão deixar escolas sem professores, hospitais em médicos?

O governo prevê sessenta mil aposentadorias até 2022 e quer um funcionalismo subalterno e sem condições de denunciar ilegalidades e irregularidades, visto que não terão a proteção da estabilidade no cargo.

Maia quer aprovar esta “reforma” ainda neste ano.

Este série do gasto com pessoal desmonta a versão do aumento do gasto com pessoal, veja que esta despesa frente ao percentual do PIB tem se mantido estável. em 1997, era 4,2% e em 2019 chegou a 4,3%.Além disto, em 2019, o desgoverno deixou de aplicar R$ 5,7 bilhões e em 2020, serão R4 5,8 bilhões a menos que o previsto no ano anterior.

Tabela 4.1. Resultado Primário do Governo Central – Brasil – Anual
R$ Milhões – Valores Correntes e % PIB
IV.2  Pessoal e Encargos Sociais R$ Milhões % PIB
1997 40.132,1 4,2%
1998 44.664,7 4,5%
1999 48.261,3 4,4%
2000 54.515,7 4,5%
2001 63.217,9 4,8%
2002 71.856,3 4,8%
2003 76.618,0 4,5%
2004 84.594,6 4,3%
2005 93.206,9 4,3%
2006 106.634,3 4,4%
2007 117.585,7 4,3%
2008 132.396,7 4,3%
2009 153.403,6 4,6%
2010 168.404,7 4,3%
2011 181.439,5 4,1%
2012 188.394,5 3,9%
2013 205.152,9 3,8%
2014 222.375,4 3,8%
2015 238.499,0 4,0%
2016 257.871,8 4,1%
2017 284.041,1 4,3%
2018 298.020,9 4,3%
2019 313.087,3 4,3%
Fonte: Tesouro Nacional

A greve dos petroleiros continua e o ministro do TST só multa  e se omite no seu papel de intermediar uma solução negociada. A esquerda não está desorientada e busca resistir aos desmandos do desgoverno.

Notas de 20 governadores pedem bom senso e dialogo ao des-presidente, especialmente sobre a morte de Adriano e do preço do combustível.

Categorias
DestaquesEconomia
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish

Relacionado com