Por que a mídia ignora Serena Williams?

reprodução BBC

No último sábado, 9 de julho, Serena Williams venceu a final de Wimbledon e chegou ao seu 22º título de Grand Slam de simples. Com a vitória, ela igualou o recorde de Steffi Graf e garantiu para si o posto de maior da história do tênis.  Sobre o significado do feito de Serena, Djamila Ribeiro escreveu um importante texto que vale a pena ser lido (aqui) e sobre a dimensão esportiva do feito  Andy Bull do Guardian escreveu o artigo “Quebradora de recordes incomparável, Serena é a maior que já existiu. (aqui em inglês)

 

Facebook de Serena Willians
Facebook de Serena Willians

Serena é a melhor e nem assim deixa de ser atacada. Ela cometeu o terrível crime de sair do seu lugar e jamais será perdoada, mas ao mesmo tempo vai incentivar outras a sair. Por isso acho que não devemos ligar para haters. Se Serena sendo a deusa do universo é atacada, imagina nós meras mortais. Devemos nos focar na luta para que uma mulher negra campeã no tênis não seja mais exceção, assim como na universidade e em outros espaços.

Djamila Ribeiro no Facebook

 

 

 

 

 

Verdade seja dita, “ser duas vezes melhor” não é suficiente nem pra começar a dizer o quão melhor do que todos e todas Serena novamente se tornou.  Ela é a melhor que já existiu.

Andy Bull no The Guardian

Faltando um mês para as olimpíadas, uma atleta que virá ao Rio de Janeiro torna-se a maior da história na sua modalidade. Esse é um acontecimento que merece respeito e destaque, certo?

Só que não…

Para Serena, a imprensa brasileira dedicou pouquíssimas linhas e quase nenhum destaque. Por que será?

Segue uma análise das publicações de alguns portais e blogs esportivos brasileiros na segunda feira, 11 de julho, pós-fim-de-semana de finais em Wimbledon.


 

globoesporte.com 11/07 17h21min
globoesporte.com 11/07 17h21min. Braço de Serena
Globoesporte.com – Seção de Tênis

Serena não protagoniza nenhum destaque no portal da família Marinho. Os destaques são para a ausência de Sharapova nas olimpíadas, o título masculino em Wimbledon de Andy Murray e para a premiação conjunta de Serena e Murray, com destaque para o braço musculoso da tenista. Serena ganhou Wimbledon pela sétima vez porém “(…) um dos atributos mais chamativos da número 1” são seus braços.

ESPN.com.br – Seção de Tênis

A filial brasileira da rede americana ESPN já foi referência no jornalismo esportivo. Não é mais. O destaque na página era o título de Murray e não havia na aba de destaques qualquer menção a Serena Williams.

espn.com 11/07 17h29min
espn.com.br 11/07 17h29min. Nada de Serena

Blog do FIninha. 11/07, 17h28min. q parágrafo para Serena, 4 para Murray
Blog do Fininho. 11/07, 17h28min. 1 parágrafo para Serena, 4 para Murray
Blog do Fininho

O ex-tenista Fernando Meligeni mantém um blog no portal da ESPN Brasil.  Nele publicou o post “Batalhas mentais e campeões merecidos: um resumo do que foi Wimbledon” em que abriu com uma foto de bastante destaque para campeã, mas parou por aí. No texto dedicou apenas um parágrafo para Serena Williams, quatro para Murray e três para Federer. (Serena 1 x 4 Murray)

Lancenet.com – Seção de Tênis
A aba de destaques de tênis do jornal esportivo Lance! não teve nenhuma citação a Serena Williams e, como no caso do globoesporte.com, o foco era para a punição de Sharapova.

lancenet.com 11/07, 17h42min. Nada de Serena.
lancenet.com 11/07, 17h42min. Nada de Serena.

Screen Shot 2016-07-11 at 17.05.42
tenisbrasil.com.br 11/07 15h05min. Não há TAG de busca para o nome de Serena
Tênis Brasil

O feito de Serena também não mereceu grande atenção do portal dedicado exclusivamente ao tênis. Na aba de destaque, entre “Hewitt comenta sobre a aposentadoria de Federer” e “Murray encosta em Djokovic no ranking do ano”, a única matéria que citava Serena era  “Kerber assume o número 2” onde o ranking mundial era analisado e o foco era a posição de Angelique Kerber, vice-campeã em Wimbledon. Nessa matéria, apesar de citar a permanência de Serena no topo, o nome da campeã não é sequer “tageado”.

No Blog do Chiquinho, do jornalista Chiquinho Leite Moreira e hospedado no Tenis Brasil, nada de muito diferente do encontrado em outros lugares. Um post analisando as finais de Wimbledon com um parágrafo comentando a vitória de Serena Williams e três a de Andy Murray. (Serena 1 x 3 Murray)

Blog do Chiquinho. O triplo de espaço para Murray.
Blog do Chiquinho. O triplo de espaço para Murray.
Blog do Tênis. 4 parágrafos para Murray, 3 para Serena.
Blog do Tênis. 4 parágrafos para Murray, 3 para Serena.

Pelo mapa de TAGS do blog dá pra se notar o pouco espaço destinado para a maior tenista da história comparado a outros atletas
Pelo mapa de TAGS do blog dá pra se notar o pouco espaço destinado para a maior tenista da história comparado a outros atletas
O Blog do Tenis, do jornalista José Nilton Dalcim e também hospedado no Tenis Brasil, tratou a vitória da Serena no artigo “Murray já pode pensar no número 1”. O jornalista escreveu três parágrafos para Serena e ressaltou a importância histórica do feito, para Murray foram destinados quatro parágrafos. (Serena 3 x 4 Murray)
Blog do Juca

Juca Kfouri, que sempre guardou bom espaço em seu blog para os feitos de Federer e Nadal, também não publicou nada sobre a conquista extraordinária de Serena.

Não se encontra nada no Blog do Juca sobre Serena Williams
Não se encontra nada no Blog do Juca sobre Serena Williams

Então é assim, uma mulher negra atinge o topo do esporte, torna-se uma das maiores atletas da história, a maior de todos os tempos em sua modalidade e nem assim consegue um espaço minimamente digno na imprensa brasileira. Por quê? Porque a mídia privada brasileira é racista e machista e não permite às mulheres negras nem sequer espaço digno em seus veículos para celebrarem suas vitórias, conquistas e alegrias.

Para exaltar o feito de Serena segue um vídeo feito pela BBC, a tv PÚBLICA britânica, em que Serena recita o poema STILL I RISE de Maya Angelou

 

Ainda Assim me Levanto (Maya Angelou)

tradução Francesca Angiolillo

Você pode me inscrever na história
Com as mentiras amargas que contar
Você pode me arrastar no pó,
Ainda assim, como pó, vou me levantar

Minha elegância o perturba?
Por que você afunda no pesar?
Porque eu caminho como se eu tivesse
Petróleo jorrando na sala de estar

Assim como a lua ou o sol
Com a certeza das ondas no mar
Como se ergue a esperança
Ainda assim, vou me levantar

Você queria me ver abatida?
Cabeça baixa, olhar caído,
Ombros curvados como lágrimas,
Com a alma a gritar enfraquecida?

Minha altivez o ofende?
Não leve isso tão a mal
Só porque eu rio como se tivesse
Minas de ouro no quintal

Você pode me fuzilar com palavras
E me retalhar com seu olhar
Pode me matar com seu ódio
Ainda assim, como ar, vou me levantar

Minha sensualidade o agita
E você, surpreso, se admira
Ao me ver dançar como se tivesse
Diamantes na altura da virilha?

Das choças dessa história escandalosa
Eu me levanto
De um passado que se ancora doloroso
Eu me levanto
Sou um oceano negro, vasto e irrequieto
Indo e vindo contra as marés eu me elevo
Esquecendo noites de terror e medo
Eu me levanto
Numa luz incomumente clara de manhã cedo
Eu me levanto
Trazendo os dons dos meus antepassados
Eu sou o sonho e as esperanças dos escravos
Eu me levanto
Eu me levanto
Eu me levanto

 

 

 

 

 

 

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Jornalistas Livres Entrevista: Livia Sant`Anna Vaz

O JL Entrevista conversa com a promotora de Justiça Livia Sant’Anna Vaz, do Ministério Público da Bahia. No bate-papo, Livia fala sobre feminicídio, cultura do estupro e igualdade racial, entre outros temas.

Nota de escurecimento: por um natal sem racismo

Nota de Escurecimento

No Café com Muriçoca deste Natal, Dinha fala sobre os casos de racismo envolvendo o Jornalistas Livres e explica porque seguirá como colaboradora do Portal.