“Saiba Mais na periferia”: debate e produção de mídia nas comunidades

Projeto idealizado pela agência Saiba Mais começou pelo Passo da Pátria, na Zona Leste de Natal, e vai percorrer os bairros da periferia da cidade em 2019.

Por Rafael Duarte, da agência Saiba Mais

Agência Saiba Mais iniciou neste sábado (12) o projeto “Saiba Mais na periferia” com produção e leitura crítica de mídia em bairros das periferias de Natal. A primeira comunidade a receber a iniciativa é o Passo da Pátria, na Zona Leste. Serão seis encontros, sempre aos sábados, entre 13h e 15h, no espaço Viramundo, ao lado do posto de Saúde da comunidade.

No Passo, o Saiba Mais na Periferia é realizado em parceria com o projeto INarteurbana, que já desenvolve atividades no bairro voltadas para comunidade há vários anos e é financiado pela Fundação Air France por meio das associações Pixo (França) e Casa Vermelha (Natal/Brasil).

Em março, após o carnaval, o projeto segue para a comunidade da África, na Redinha, Zona Norte, em parceria com o Espaço Cultural Nossos Valores, mantido pela própria comunidade sob a coordenação do músico e educador Miguel Carcará.

As oficinas serão realizadas sempre em conjunto com associações e entidades já estabelecidas nos bairros. A ideia é contribuir para a formação crítica das comunidades e auxiliar os próprios moradores na produção das notícias sobre o lugar onde moram e na divulgação dessas notícias em veículos criados por eles.

Passo da Pátria

Formação de leitores de mídia é um dos objetivos do projeto

O convite para a realização da oficina pela agência Saiba Mais partiu do próprio INarteurbana e foi incluída na programação realizada no espaço Viramundo, que conta com outra oficinas para a comunidade, a exemplo de fantasia, grafite, circo, desenho, teatro, música e break dance.

A oficina de mídia é conduzida pelo jornalista e co-fundador da agência Saiba Mais Iano Flávio. Serão seis módulos. Durante as aulas, além da parte teórica, os participantes vão produzir notícias e, no final, farão parte da cobertura do desfile do bloco da Maré, no carnaval 2019.

Aliás, o bloco da Maré é um projeto pensado e iniciado pelo INarteurbana junto com a comunidade do Passo da Pátria.
A preparação do carnaval é praticamente uma residência artística, com oficinas durante os meses de janeiro e fevereiro para preparar o desfile do Bloco. É uma das ações mais importantes do projeto por envolver de forma espontânea boa parte dos moradores da comunidade.

Os módulos da oficina de mídia são divididos em “Pra que serve a mídia e as notícias e o que é direito à Comunicação”, “Onde encontrar notícias de verdade”, “Como reconhecer e combater notícias falsas e o mal que elas pode fazer”, “Como produzir nossas próprias notícias I”, “Como produzir nossas próprias notícias e melhorar a vida da comunidade II” e “Pré-produção para a cobertura do desfile do Bloco da Maré”.

Coordenadora do InArte Urbana, Sayonara Pinheiro destacou a importância do projeto para fortalecer a identidade da própria comunidade:

– É uma maneira de empoderamento da comunidade. Você cria identidade quando se reconhece no lugar, a partir da sua própria história. A ideia é que as pessoas contem suas próprias histórias, que falem sobre elas mesmas e fortaleçam esse vínculo local com a comunidade.

Direito à Informação é artigo previsto na Constituição, explica jornalista

No primeiro módulo, o jornalista Iano Flávio explicou que o direito à informação está previsto na Constituição Federal, fez uma introdução sobre a importância da comunicação e exibiu o vídeo “Levante sua Voz”, produzido pelo coletivo InterVozes que mostra o poder da comunicação na formação do povo brasileiro.

Segundo dados apresentados pelo documentário, apenas 11 famílias no Brasil controlam a maioria da imprensa tradicional no país. Outra informação relevante e que também demonstra o poder de censura do Estado é a perseguição do Governo em relação às rádio comunitárias.

A emissão de ondas eletromagnéticas sem a permissão do Estado brasileiro é crime com pena maior do que a de crimes como lesão corporal e até cárcere privado.

Espaço Viramundo recebeu a oficina de produção e leitura de mídia

O participantes das oficinas contaram como costumam saber das notícias que recebem e quais ferramentas e veículos usam para se comunicar.

Um deles é Guajiru, que integra o corpo editorial do jornal bilíngue Marandu, escrito em português e tupi guarani. Frequentador do Passo da Pátria, ele pretende expandir o conhecimento sobre a mídia:

– Por já ter envolvimento com essa mídia do Marandu, quero expandir essa mídia para a internet também. Hoje temos uma parceria com a secretaria de educação de Ceará-mirim e produzimos semanalmente o nosso jornal”, disse.

Para o jornalista Iano Flávio, a formação crítica dos jovens é essencial no cenário atual.

– Em um mundo onde é cada vez mais difícil distinguir a realidade do delírio, é cada vez mais importante formar os jovens para sobreviver neste cenário. Apostamos no potencial transformador da comunicação não apenas para aprender a ler a mídia, mas para poder produzir a própria mídia também”, afirmou.

Financiamento

O projeto “Saiba Mais na periferia”, assim como o conteúdo diário produzido pelo portal da agência Saiba Mais é financiado pelos parceiros e assinantes do portal. O orçamento, no entanto, ainda é muito baixo. Por isso, a agência Saiba Mais vai iniciar nos próximos dias a campanha “Financie o jornalismo que te representa” e espera contar com o apoio de mais leitores para pagar nossos custos. O link para assinaturas ou doações é: www.saibamais.jor.br/assine

Categorias
Cidadania
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish