QUANDO A ARTE CANTA AOS HOMENS E SALVA A TERRA

S

 

São Paulo não tem praia, nem Copacabana, nem dessas outras coisas tem. Tem antenas, temos muitas, e cá vemos coisa linda, ao vivo, no Rio. Rio de Janeiro.

De repente eles, eles na rede, os artistas, os vegetarianos, a música em nós. É Mano, é Milton, é Caetano, é uma gente.

Foi bonita a festa, as Diretas Já desvela a praia, a onda, mistura as cores novamente. É verde, é vermelho, é amarelo, preto, cafuso.

 

A nossa cara, diretas já, rap do bom, para todo povo refletir: mais saúde e educação cantam eles. Rio, agora, cidade livre, a luta pelo progresso. Queremos diretas já.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

São Paulo não tem praia, e nem quer pagar o pato, por mais que insistam.

Insiste Caetano Veloso que um índio descerá de uma estrela colorida, brilhante.

Cremos que sim.

Que leva a vida como um rio e desce para o mar, São Paulo não tem praia, tem rede.

 

 

 

 

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornalistas Livres

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Recorde em SP: 48 mil pessoas vivem nas ruas

Um levantamento realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) mostra que 48.261 pessoas viviam nas ruas em São Paulo no ano de 2022, sendo o maior já registrado na capital paulista. No Brasil são quase 192 mil pessoas em situação de rua registradas no CadÚnico.

Hoje Maria Marighella é a entrevistada no Programa JORNALISTAS LIVRES ENTREVISTA. Atriz, mãe, militante e produtora cultural. Herdeira de uma família de tradição militante. Maria