Mais de três quartos dos homicídios de jovens em Belo Horizonte são contra negros

Por Hemerson Morais

Foi lançado na última quarta (21) em Belo Horizonte, o Relatório de Prevenção à Letalidade Juvenil e Adolescente, desenvolvido pela Secretaria de Segurança e Prevenção. A data foi escolhida por ser o Dia Internacional de Combate ao Racismo no mundo.

Considerando-se a faixa etária entre 15 e 29 anos em recorte de 100 mil habitantes, o relatório aponta que a taxa de 173,8 em 2012 caiu para 91,1 em 2017. Porém, no somatório de pretos e pardos (considerado o total de negros), o percentual chega aos 76% do número de homicídios na capital mineira, sendo que mais de 84% são causados por arma de fogo.

O percentual é maior que em um comparativo a nível nacional (72,33%) e de cidades consideradas muito violentas, como Rio de Janeiro, onde a taxa é de 80%, segundo o relatório.

OJornalistas Livres conversou com a Deputada Federal Áurea Carolina (PSOL), com a Diretora Municipal de Políticas para a Igualdade Racial Makota Kisandembu e a Gerente Municipal de Prevenção à Criminalidade e Violência Juvenil, Etiene Martins, sobre a importância do relatório e quais os caminhos podem ser tomados a partir dele. Ouça abaixo:

 

[aesop_audio title=”” src=”https://jornalistaslivres.org/wp-content/uploads/2019/03/relatorio-prevencao.mp3″ loop=”off” viewstart=”off” viewend=”off” hidden=”off”]

O relatório pode ser lido na íntegra aqui.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Nota de escurecimento: por um natal sem racismo

Nota de Escurecimento

No Café com Muriçoca deste Natal, Dinha fala sobre os casos de racismo envolvendo o Jornalistas Livres e explica porque seguirá como colaboradora do Portal.

NÃO À PRIVATIZAÇÃO DO METRÔ BH CONTAGEM

PELA AMPLIAÇÃO DO METRÔ PÚBLICO, COM PARTICIPAÇÃO POPULAR E TARIFA SOCIAL! O Bloco Esperando o Metrô, reafirma sua posição contrária à privatização da Companhia Brasileira