Espetáculo “Os PsicoPatos, uma sátira política” faz temporada no Teatro José Maria

A comédia cria uma metáfora substituindo o termo “política” por “patética”, o que transforma aqueles que conduzem a história em mentores de uma “jornada patética partidária”

Espetáculo “Os PsicoPatos, uma sátira política” faz temporada no Teatro José Maria

Já faz algum tempo que o cenário político do Brasil mais parece uma peça de teatro, não é? Agora se tornou mesmo. Os PsicoPatos é um espetáculo independente de sátira política que transforma algumas figuras carimbadas da política no Brasil em patos poderosos.

O espetáculo fica em cartaz no Teatro José Maria Santos entre os dias 9 e 26 de maio. A direção da peça é de Mauro Zanatta e em cena estão os atores da Companhia de Teatro Os Bonobos da Corte.

Conforme Zanatta, o espetáculo nasceu de uma inquietação trazida pelos atores da Companhia, mas que é vista em muitos outros espaços. “Muita gente no Brasil está incomodada com o que está acontecendo no país hoje e com o que aconteceu nas últimas eleições”, afirma.

A peça independente vem sido montada desde a segunda metade de 2018. O texto foi feito em conjunto pelo diretor e os atores Ariel Pascke, Deise Warken, Julia Vidal, Leo Castilhos, Nelson Bonfim, Pedro Melo e Raphael Martins.

Para a atriz Deise Warken, o objetivo do espetáculo é causar uma reflexão sobre a forma que está sendo feita a política representativa no Brasil hoje. “A importância do espetáculo é promover a reflexão de forma inteligente e bem humorada, oportunizar às pessoas a olharem para o cenário político com pensamento crítico”, conta.

Na peça, todos os personagens são patos. “A figura do pato está pateticamente próxima do que a gente vive”, comenta Zanatta, relembrando a figura do pato inflável de 12 metros, utilizada pela Fiesp nas manifestações pró impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016.

Foto – Eduardo Matysiak

Sobre o espetáculo

A comédia cria uma metáfora substituindo o termo “política” por “patética”, o que transforma aqueles que conduzem a história em mentores de uma “jornada patética partidária”. Na história, a “patética brasileira” representada passa a ser um grande delírio coletivo.

A obra narra a história do PP do P, o Partido Partido do Pato, que tem o seu futuro ameaçado após a morte do seu líder, e candidato natural à Presidência da República, o Pato Velho. Após a morte do personagem, a cúpula do partido se reúne para definir os próximos passos e projetos para alavancar a sua “patética nacional” e definir quem será o substituto de Pato Velho nas eleições. A dúvida que permanece é: o novo candidato do partido será o candidato desejado pelo povo?

Ingressos
Os ingressos para a peça são vendidos pelo Disk Ingressos e custam R$30 (inteira) e R$15 (meia-entrada). Além da meia entrada prevista em lei — para estudantes, professores, doadores de sangue, entre outros — também poderá pagar meia-entrada quem optar por fazer a doação de um livro. A entrega deverá ser feita no dia do espetáculo.
Para a troca, serão aceitos livros novos e usados em bom estado, exceto materiais didáticos ou religiosos. A ação está sendo organizada em parceria com a Freguesia do Livro e os livros serão doados para instituições sociais e bibliotecas.

PROGRAME-SE
Quando: 09 de maio a 26 de maio de 2019
Quintas, sextas e sábados às 20h | Domingo às 19h
Local: Teatro José Maria Santos – R. Treze de Maio, 655 – São Francisco, Curitiba
Classificação indicativa: 14 anos
Ingressos: R$15 (meia entrada) e R$30 (inteira)
Onde comprar:
» Site do Disk ingressos (http://bit.ly/psicopatos)
» Call Center Disk Ingressos: (41) 3315-0808
» Quiosques Disk Ingressos (Shoppings Mueller, Estação e Palladium)

Categorias
Geral