Em São Paulo, Embu das Artes vive clima de faroeste

Subsecretário municipal de Tecnologia e Comunicação de Embu das Artes é indiciado em inquérito do atentado contra jornalista

Para a Polícia Civil, o subsecretário municipal de Tecnologia e Comunicação de Embu das Artes, Renato Oliveira, dirigia o carro Hyundai i30, que na madrugada do último 28 de dezembro, derrubou o chargista do site de notícia regionais Verbo Online e colaborador dos Jornalistas Livres, Gabriel Binho, de sua moto na rodovia Régis Bittencourt, na altura do km 279.

Durante o atentado, já caído, Binho teria ainda sido o alvo de três disparos de arma de fogo. O subsecretario e seu amigo Lenon Roque, que atua como um segurança particular de Renato, foram indiciados hoje (16) por lesão corporal grave e devem seguir em liberdade até o julgamento da Justiça.

> Assista o depoimento de Gabriel Binho

Cidade de cerca de 250 mil habitantes na região Metropolitana de São Paulo, a estância turística de Embu das Artes vive clima de faroeste desde que o prefeito Ney Santos (PRB) tomou posse após ficar dois meses foragido da Justiça.

O prefeito foi acusado pelo Ministério Público por lavagem de dinheiro, associação para o tráfico de drogas e ligação com organização criminosa, ele estava foragido desde o dia 9 de dezembro de 2017, quando foi deflagrada a Operação Xibalba, da Polícia Federal (PF).

Em uma vídeo ao vivo o secretario municipal Jones Donizette, chefe de Renato, negou a participação de servidores da sua pasta no atentado a Binho, e chegou a dizer que o site Verbo estava ligado ao deputado estadual Geraldo Cruz (PT), que governou a cidade por oito anos.

Renato Oliveira é considerado um dos meninos de ouro do MBL, virtuoso conhecedor em redes sociais, ficou conhecido em 2014 ao defender o deputado federal Jair Bolsonaro no antigo programa global do Jô Soares.

Categorias
DestaquesMBLviolênciaVoz das Periferias
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta