DAS PRIORIDADES E AS PALAVRAS ERRADAS

 

Prioridade deveria ser palavra fixa, como vida, encerrando-se apenas na morte, cumprindo seu destino e meio, princípio e fim.

Certa manhã, em 2008, me recordo que entristeci. Frei Betto, fiel companheiro dos excluídos, expunha em entrevista*, suas dores com a mudança de rumo na fome que se pretendia zero. A tal prioridade se deslocava da emancipação para a assistência. Tanta diferença isso faria, hoje sabemos da cegueira que se instalou, como apagar de chama, fim de velas. A paisagem que um dia acreditamos e imaginamos em noite escura seria limpa e alva honra, certa na tela pintada por tantas vontades.

Ali entristeci porque se abria a caixa de Pandora, não o mapa da mina, tesouro que em nós, brasileiros, reside.

Tudo torto corre hoje, desbotado. Em tempos de mea-culpa nos perturba a dúvida.

Entre os programas Fome Zero, Bolsa Família e o fim desse longo ano de 2016, tanta coisa aconteceu e, como rio, se transforma a todo momento. Frei Betto me ecoa em lembrança oportuna nesta segunda-feira após o Natal, quando novamente leio, em jornal, a afirmativa obtusa de outros em opinião na grande mídia:

A muleta eleitoral do Bolsa Família tem provocado também uma mudança de perfil das cidades administradas pelo PT. O partido perdeu espaço nos grandes centros urbanos, nos quais, pelo próprio tamanho do eleitorado, a influência do benefício social sobre o voto é menor. Por exemplo, nas eleições de 2012, o partido havia conquistado no Nordeste a prefeitura de sete cidades com mais de cem mil habitantes. Agora, perdeu em todas as sete. O que restou do poder do partido ficou concentrado em pequenos municípios, com menor poder econômico e, consequentemente, com uma população mais dependente de benefícios estatais.”**

Lula afirmava que o programa Bolsa Família era a porta de entrada para uma era de desenvolvimento e que para mastigar a carne era  necessário a dentadura. O grande milagre.

Não serei eu a desqualificar o Bolsa Família, pois ali onde estiver o seu tesouro ali é teu coração. Não tem nada mais feio que a fome, Lula tinha razão, mas a fome não é só comida, sabemos bem.

 

 

https://soundcloud.com/institutolula/lula-se-eu-voltasse-no-tempo

http://noticias.uol.com.br/ultnot/2008/03/15/ult23u1484.jhtm  *

http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,o-voto-do-bolsa-familia,10000096526  **

 

 

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornalistas Livres

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Craque dentro e fora do campo

O centroavante Richarlison ganhou cerca de 4 milhões de seguidores em seu Instagram após fazer os dois gols na vitória do Brasil contra a Sérvia.