Ativista pelo Direito à Moradia toma posse como vereadora em BH

Bella Gonçalves toma posse na Câmara Municipal, ocupando o lugar de Áurea Carolina, que foi eleita Deputada Federal e vai para Brasília representar Minas Gerais.

Posse de Bella Goncalves na Câmara Municipal de Belo Horizonte. Foto: Abrãao Bruck

A cientista política Bella Gonçalves assumiu ontem, 13/11, como suplente o cargo de vereadora na Câmara Municipal de Belo Horizonte pelo PSOL. Lésbica feminista, Gonçalves tem trajetória nas lutas pelo direito à cidade e por uma Reforma Urbana popular. Atua nas Brigadas Populares, movimento social presente em ocupações urbanas, vilas e favelas e em diálogo com diversos segmentos de trabalhadores informais. Ela ocupará o cargo deixado por Áurea Carolina, que irá para Brasília representar Minas Gerais como Deputada Federal.

“Um salve às ocupações, aos camelôs, às LBGTs, a todas as lutadoras e lutadores da cidade” disse em seu discurso de posse. “Sou Bella Gonçalves, mulher lésbica, dos movimentos sociais e urbanos.”

Em 2016, Belo Horizonte elegeu duas vereadoras mulheres com uma campanha coletiva realizada pela movimentação Muitas.  Formada por um conjunto de ativistas que decidiram concorrer sob uma mesma plataforma as eleições para vereador; a Muitas é composta por representantes da luta por moradia, de mulheres, de LGBTs, antirracista, entre outras frentes populares. Comprometidas em construir mandatos coletivos, transparentes, representativos e dedicados à inclusão de mulheres, negros e LGBTs, o grupo elegeu a cientista política Áurea Carolina, uma das candidatas mais votadas da história de Belo Horizonte, ao lado da dramaturga Cida Falabella, ativista pelo direito à cultura.

Bella Gonçalves também participou da campanha coletiva, tendo uma votação muito próxima à de Falabella. Apesar de não se eleger, ela foi convidada para construir uma proposta de covereança, experiência inédita de mandato compartilhado que ajudou a tornar o Direito à Cidade um de seus eixos prioritários, ao lado de Direitos Humanos e Cultura e Educação.

Movimentação Muitas na posse de Bella Goncalves na Câmara Municipal de Belo Horizonte. Foto: Gabinetona.

Juntas escolheram gabinetes um lado do outro no prédio da Câmara, e pediram que a parede que os separava fosse removida. A partir daí passaram a administrar coletivamente o mandato, em parceria com diversos movimentos sociais e todo o restante da plataforma que participou na campanha. Elas passaram a chamar seu gabinete unificado de “Gabinetona”.

Dois anos depois, as Muitas repetiu a experiência, lançando candidaturas comprometidas com a ampliação de seu projeto nas esferas estadual e federal. Mais uma vez foram bem sucedidas: Áurea Carolina conseguiu multiplicar sua votação em Belo Horizonte, sendo a primeira candidata eleita deputada federal pelo PSOL de Minas. A advogada popular da periferia da capital, Andréia de Jesus, também foi eleita como deputada estadual pela mesma campanha.

“A Gabinetona, hoje, inicia a sua expansão. Duas mulheres negras vão a frente. Áurea Carolina no Congresso Nacional e Andreia de Jesus na Assembleia Legislativa. Junto com Cida Falabella, continuaremos a luta na Câmara Municipal.” continua Bella Gonçalves em seu discurso. Agora, inauguram a experiência de um mandato coletivo em três esferas: a Gabinetona passará a contar com 4 parlamentares, todas mulheres, todas de perspectiva horizontalista, coletiva e democrática.

As quatro parlamentares da Muitas, da esquerda para a direita: a vereadora Cida Falabella; a deputada estadual Andreia de Jesus; a vereadora Bella Gonçalves e a deputada federal Áurea Carolina. Foto: Fernando Olze.

Midialivrista, jornalista e comunicólogo formado pela UFMG.

Categorias
Belo HorizonteCidadesLuta por MoradiaMoradia
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish