Alunos da Uninove protestam contra aumento abusivo de mensalidades

Atos acontecem em todas as unidades da capital

Crédito Mary Rocha

Por David Felipe*

Estudantes da Universidade Nove de Julho, uma das maiores universidades privadas em número de alunos do país, iniciaram uma série de protestos desde sábado (05/01) em São Paulo questionando o aumento da mensalidades para o ano de 2019. Hoje (08/01), ocorre protestos na unidade de Memorial, na Barra Funda. (Abaixo as datas já programadas)

Os alunos foram notificados do aumento ao realizar a rematrícula. Os preços subiram, na maior parte, em torno de R$ 300 reais, mas há casos em que o valor chegou a aumentar até R$700 reais, ultrapassando os antigos custos em mais de 40%. Esse aumento se deu a partir de supostos descontos que a faculdade oferece para todos os alunos, que é reduzido no início de cada semestre, prática que segundo os alunos, caracteriza um “aumento silencioso”. A indignação cresceu ao receberem o maior aumento registrado nos últimos anos.

Uma das organizadoras dos atos, que prefere não se identificar para evitar represálias, alega que o maior problema é que o aumento é injustificado e abusivo, uma vez que a faculdade não possui estrutura que faça jus aos acréscimos no valor.

“Decidimos nos unir em frente aos campos da Uninove para ver se eles nos dão alguma justificativa, o porquê do aumento abusivo e qual será a solução. […] além deste motivo, queremos protestar também por pagarmos tão caro e a universidade não ter uma boa estrutura. Elevadores vivem em manutenção impossibilitando de cadeirantes, deficientes, gestantes irem para a sua sala. Alaga sempre que tem uma tempestade, somos proibidos de usarmos o laboraria de informática depois do período de aula, enfim né…” relata a estudante.

Assista aqui a cobertura ao vivo do ato do dia 7

https://www.facebook.com/jornalistaslivres/videos/341988653301971/

Para os próximos atos, os organizadores estão pedindo que os universitários levem apitos e cartazes em repúdio a mercantilização do ensino e que vistam uniforme ou roupas que remetam a universidade. Além dos protestos, enviaram denúncias ao MEC, e estão tomando medidas jurídicas  com o auxílio de advogados e coletando assinaturas para um abaixo-assinado se posicionando contra o aumento e exigindo que seja apresentada a planilha de custos que justifique os novos valores, a petição já conta com mais de 10 mil assinaturas.

A seguir a agenda dos atos, que seguirão até a próxima quinta (10/01) que é o último dia da rematrícula:

08/01 às 9h: Unidade Memorial:  Av. Dr. Adolpho Pinto, 109 – Barra Funda, São Paulo.

09/01 às 19h: Unidade Vila Prudente: Av. Professor Luiz Ignácio Anhaia Mello, 1363 – Vila Prudente, São Paulo.

10/01 às 9h: Unidade Vila Maria: Rua Guaranésia, 425 – Vila Maria, São Paulo.

Os Jornalistas Livres procuraram a assessoria de imprensa da UNINOVE mas não obtivemos resposta até a publicação desta matéria.

Acesse o evento do facebook neste link:

https://www.facebook.com/events/2235000350090302/?ti=cl

*DAVID FELIPE
Graduando em Ciências Sociais na Universidade de São Paulo. É Coordenador Geral da União Estudantil de Embu das Artes e também coordena o Cursinho Popular João Batista de Freitas.

Categorias
Educação
3 comentários:
  • Maria de Fatima da S Santos
    9 janeiro 2019 at 5:03
    Comente

    Sou aluna da Faculdade da Uninove ,realmente a mensalidade do 7 e 8 semestre ficou um valor abusivo no qual nao tem desconto,no qual quando vai fazer rematricula deste ja tem concordar com os termos que esta no Contrato.

  • Luis
    9 janeiro 2019 at 14:51
    Comente

    Absurdo e abusivo sim este aumento da mensalidade desta universidade Uninove, Ruim para ela, que começa a perder o prestígio n hora da escolha dos universitários. Acorda para a vida gestores da Uninove e seja justa.

  • Lucas Souza
    9 janeiro 2019 at 16:21
    Comente

    Está um roubo este aumento!
    O valor do meu salário!

  • Deixe uma resposta