Sepultamentos crescem em São Paulo e cemitério da Vila Formosa vai parar na capa do Washington Post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Segundo dados recebidos pelo Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (SindSep), o Cemitério da Vila Formosa, localizado na zona Leste da cidade, dobrou o número de abertura de covas nos últimos dias. No maior cemitério da América Latina, costuma-se enterrar no máximo 45 corpos em um único dia, mas só no dia de ontem (), foram feitos 57 sepultamentos. 

Covas abertas em cemitério de SP viram destaque no Washington Post

A imagem das valas abertas é tão forte que foi parar na capa do jornal diário estadunidense Washington Post, para ilustrar uma matéria sobre a crise provocada pela “inação federal”, como descreve o impresso o modo temeroso como o presidente brasileiro vem lidando com o surgimento do novo coronavírus.

O cemitério da Vila Formosa tem aberto 100 valas diariamente. Antes da pandemia, o número de buracos abertos era de no máximo 50 por dia.

No Cemitério São Luiz, na Zona Sul da capital, o aumento de trabalho também causou espanto. Foram 43 sepultamentos no dia de ontem, a maior curva desde o aparecimento da doença no Brasil. “Hoje () foi fora da curva até para esses tempos, acredito que amanhã (2) deva voltar para média uns 25 sepultamentos no total, isso em tempos de coronavírus”, contou um servidor que não pôde se identificar.

Os números divulgados pelo SindSep são de trabalhadores sepultadores, já que o Serviço Funerário do Município de São Paulo não tem sido transparente com os dados, denúncia o Sindicato. “Em São Paulo o serviço funerário é monopólio. Toda morte deve passar por lá. Então eles podem anunciar diariamente quantos sepultamentos foram feitos”, critica o secretário Imprensa do sindicato, João Batista. 

Segundo dados do Ministério da Saúde desta quarta-feira (1º) são 241 mortes, 6.836 casos confirmados, e uma letalidade de 3,5% causadas pela Covid-19, doença causada pelo coronavírus Sars-Cov-2.

PROTEÇÃO DO TRABALHADOR

Os dirigentes do Sindsep, João Batista Gomes e Manoel Noberto, estão percorrendo os cemitérios para orientar os trabalhadores, seja da administração direta, como terceirizados, quanto a exigência e uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

João alerta que nenhum trabalhador deve colocar sua vida em risco. “Não vacile! Exija a proteção e o treinamento para a Coronavírus/Covid-19!”. Para denunciar situações perigosas nos serviços públicos municipais procure o Sindicato: https://sindsep-sp.org.br/

COMENTÁRIOS

  • Ola a todos, nao repassem essa noticia para a frente e denunciem informacao fake, cemitério de Vila Formosa é dos maiores da América Latina! Se voces nao sabem disso eu informo, então constantemente abrem as covas e fazem cremação para novos espaços, inclusive chegam até a enterrar pessoas em cima de outras por falta de espaço ! Fica ai a informação para quem nao sabe da triste realidade

  • Com tantas mortes, tanta tristeza e ainda temos muita gente se aproveita da situação para aumentar os preços no supermercado e nas farmácias.

  • POSTS RELACIONADOS

    >