Não vou anular a minha esperança!!!!

O direito ao voto conquistado com muita luta por trabalhadores, estudantes, mulheres, negros e pessoas de outras gerações, em toda a história.

Para Lilith, guerreira do movimento secundarista.

Muitas vezes recebo de amigos mensagens pregando o voto nulo. Quando meus olhos começam a ler vem a minha mente imagem de centenas de mortos pela repressão policial ao movimento cartista inglês do século passado que defendia o direito ao voto para todos os homens. Na época só votava que tinha certa renda, o chamado voto censitário.

No Brasil, a luta pelo direito ao voto para todos os homens aparece na Revolução Praieira em Pernambuco. E só conseguimos o reconhecimento do voto universal com a República.


E as mulheres? O voto feminino foi luta liderada por Emma Goldman nos Estados Unidos e que se espalhou pelo mundo. Houve até mulheres colocadas no manicômio… Mas enfim, o voto feminino foi vitorioso. E assim o direito ao voto foi se ampliando, e também os analfabetos obtiveram este direito.

O direito ao voto conquistado com muita luta por trabalhadores, estudantes, mulheres, negros e pessoas de outras gerações, em toda a história.


Mas por que temos o direito ao voto? Por um razão simples, somos nós que pagamos impostos e, portanto temos o direito de escolher quem vai administrar nosso dinheiro e de ter representantes que vigiem estes gestores. Mesmos a pessoa mais simples quando vai ao mercado comprar um produto paga imposto sobre aquela mercadoria.


Por trás do gesto simples de votar há muita luta, muito sofrimento , mas também muitas alegrias. Por isso, precisamos resgatar como este gesto é importante para transformar nossas vidas, em ajudar os mais pobres a ter uma vida digna, e, por exemplo, entrar e se manter na universidade .
Vivemos uma sociedade ainda profundamente injusta, em que seis famílias tem metade de toda a riqueza de nosso país.

Temos uma justiça que é seletiva, que aplica a lei diferente para nobres e plebeus, e um das poucas chances que temos de alterar este quadro é pelo voto, pois neste momento, o voto do rico ou do juiz tem o mesmo valor que o meu.E por que então vou jogar fora a minha chance de ser efetivamente igual e mudar o meu país ?

No momento presente, o governo Temer conseguiu arquivar por duas denuncias de corrupção e organização criminosa e toda a mídia mostrou que para isto gastou mais de R$ 32 bilhões e deu isenção por quase 30 anos de 1 trilhão pras as petroleiras multinacionais . Não sejamos ingênuos, para ganhar as eleições e continuar a cortar direitos dos pobres vão gastar muito mais que R$ 32 bilhões. E você quer que eu ajude os poderosos e anule meu voto????

Não farei isto, não vou anular minha esperança, vou votar na esquerda para defender meus direitos. Entendo a esquerda, como diz Betinho, aqueles que colocam o SOCIAL acima do capital, a dignidade humana acima do lucro.Um bom exemplo é a PEC do congelamento dos gastos com educação e a saúde, que foi feita para garantir o pagamento da dívida aos rentistas, mesmo que isto signifique a destruição da educação e saúde pública.

Vou denunciar sempre todos aqueles que apoiaram este governo Temer e votaram favoravelmente a Reforma Trabalhista e a Terceirização, condenando uma geração a escravidão. Vou denunciar aqueles que votaram para aprovar a PEC 55 que vai retirar R$ 500 bilhões da educação e saúde para ajudar os “pobres “ rentistas e banqueiros.

Os cortes na saúde já aumentaram  a mortalidade infantil, fechou farmácias populares, fez piorar o atendimento do povo. Os golpistas já estão com a ideia e trabalhando para que o Congresso (deputados e senadores) aprovem o SUS pago.

O meu voto honrará a memória daqueles que lutaram para podermos votar e não vou anular a minha esperança, que é a único sentimento que nós faz seres humanos em plenitude.

PS: Respeito profundamente o movimento anarquista que defende anular o voto por ideologia e não confiar no Estado.A esquerda tem muito que apreender com os anarquistas, especialmente a resistir a tentação do poder e a cultivar uma vida simples.Mas este texto se dirige aos milhões de desesperançados com a triste situação da política nacional.

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.

Categorias
DemocraciaDestaquesDireitos SociaisEleições 2018

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish