Moradores da Vila São Pedro sofrem reintegração de posse e casas são demolidas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Texto: Karina Iliesco

Fotos: Régis Ferraz

Ontem, as 5 horas da manhã, sem qualquer aviso prévio, a Prefeitura de São Bernardo do Campo (SP) demoliu 6 casas dos moradores da Vila São Pedro sem qualquer ordem judicial ou justificativa. Outros moradores já receberam uma notificação que a qualquer momento podem sofrer uma reintegração de posse e ter suas casas derrubadas. As famílias não tiverem sequer tempo pra retirar seus pertences.

O MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e MLB (Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas) organizaram um ato para chamar a atenção das autoridades e fecharam a avenida Dom Pedro de Alcântara, principal avenida da Vila São Pedro. A GCM apareceu e se comprometeu junto ao capitão Inácio da Policia Militar para realizar uma reunião com o Prefeito Orlando Morando hoje (10) às 11 horas na Secretária de Habitação com as famílias que não tinham para onde ir depois da realização de demolição e despejo de suas casas.

Essa reunião pretendia dar auxílio aluguel pra essas famílias que ficaram sem moradia e, para as outras que foram notificadas, suspender o despejo. Porém, a Secretária da Habitação fechou suas portas com cadeado e as família ficaram do lado de fora sem qualquer diálogo, descumprindo o acordo que havia sido feito no momento da manifestação.

Os movimentos junto aos moradores de São Bernardo do Campo permaneceram em frente a prefeitura para cobrar seus os direitos e realizaram uma live explicando todo o processo ilegal dos despejos.

Em momento de pandemia, a prefeitura orienta a população que fique em casa. Mas essa mesma prefeitura realiza despejos nas periferias, onde o contagio é crítico e as pessoas estão vulneráveis.
A ação ocorreu mesmo com o Tribunal de Justiça indicando para que ações como essa não acontecessem em tempos de pandemia.

COMENTÁRIOS

  • Aposentei no final do ano após 43 anos trabalhando no judiciário. Infelizmente quem tem poder e dinheiro não respeita o judiciário. Mas só não respeitam, porque nossos magistrados e membros do MP dão motivos. Olha o exemplo da lava jato, aconteceu alguma coisas com o Moro e os procuradores?? Sim! Estão por aí fazendo palestras e enchendo os bolsos. CNJ para que? Proteger a classe!

  • Bom dia! Prezada Karina. Ótimo texto, mostrou transparência e objetividade, infelizmente é a realidade do nosso Brasil.

  • POSTS RELACIONADOS

    Em Ribeirão Preto, cidade conhecida como a "Califórnia Brasileira", o casal Tatiane Pereira, 22, com o marido Mateus Cazula, 24, e o filho Henrique, 2, no dia 28 de maio. A prefeitura demoliu a casa que a família construía em terreno público abandonado. "Estamos sem trabalho e já fomos despejados por dever o aluguel. Ocupamos esse pedacinho da Favela das Mangueiras e com o auxílio-emergencial construímos as paredes pra morar. É o que dava. Foi tudo embora, e agora?" (Foto: Filipe Augusto Peres)

    Campanha Despejo Zero: “Moradia é questão de vida ou morte na pandemia”

    Em plena crise sanitária, aumento das remoções forçadas em todo o país mobiliza campanha nacional e internacional #despejozero. A intenção é pressionar aprovação do projeto de lei que proíbe que brasileiros sejam jogados no olho da rua e expostos ao coronavírus por não ter como pagar aluguel

    >