MILICIANOS COM ARMAS DE FOGO AMEAÇAM AS FAMÍLIAS DO ACAMPAMENTO MARIELLE VIVE

As famílias acampadas na região de Campinas (SP) sofrem constantes tentativas de intimidação

Acampamento do MST em Valinhos (SP), Marielle Vive tem crescido em organicidade foto: Fabiana Ribeiro | Jornalistas Livres

O acampamento Marielle Vive em  Valinhos segue para o quarto mês de luta e resistência. Atualmente são mais de 1300 famílias acampadas em terras improdutivas que eram destinadas a especulação imobiliária.

A organicidade do acampamento tem se firmado a cada dia, os núcleos de base organizados sustentam a estrutura que conta com cozinha coletiva, almoxarifado, atendimento médico e diversas outras ações envolvendo as famílias acampadas.

A luta das famílias é grande, além do direito fundamental ao acesso à água potável negado pela Prefeitura Municipal de Valinhos.  O acampamento vem sofrendo constantes ameaças de milicianos vinculados empresa Eldorado Empreendimentos Imobiliários, dona da fazenda. A intimidação é feita por meio de disparos com armas de fogo na direção do acampamento.

A empresa Eldorado Empreendimentos Imobiliários teve sua solicitação de reintegração de posse suspensa no dia 03 de maio,  e  no dia 27 de junho foi ratificada pelo Ministério Público do Estado de São Paulo em parecer favorável para o Acampamento Marielle Vive.

Não é a primeira vez que a empresa age de forma irregular, os milicianos ligados a empresa ameaçar ou forjar provas irregulares contra as famílias acampadas, além dos milicianos armados e disparando armas de fogos, também houve a  tentativa  de forjar provas através do ingresso de gado, de forma sistemática e certamente irregular na área ocupada.

Formada em Comunicação Social pela Puc Campinas, Fabiana Ribeiro atua como fotojornalista para o Jornalistas Livres

Categorias
Agricultura FamiliarAgroecologiaDireitos SociaisMarielle FrancoMSTRegião de Campinas

Formada em Comunicação Social pela Puc Campinas, Fabiana Ribeiro atua como fotojornalista para o Jornalistas Livres
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish