Lisboa – Portugal, centenas de mulheres caminham pelo Dia Internacional das Mulheres

Fotos Bruno Falci

Na noite de ontem, 8/3, em Lisboa – Portugal, centenas de mulheres fizeram uma caminhada, saindo do Terreiro do Paço, pelo Dia Internacional das Mulheres.

Além das reivindicações de paridade salarial, divisão dos trabalhos domésticos e nos cuidados com os filhos, pelo fim das violências sofridas em vários níveis, entre outras, havia um grupo suprapartidário, organizado como Coletivo Andorinha, denunciando o golpe de Estado no Brasil e em repúdio à arbitrariedade judicial contra Lula.

“Estamos no ato do 8 de março de Lisboa, aqui reivindicando sem esquecer do Brasil, que a gente tem muita luta esse ano, uma eleição importantíssima. A gente tem que defender o Lula, a gente tem que defender o Brasil, tem que ir contra esses machistas do Congresso”, disse Lígia Toneto, militante do Partido dos Trabalhadores, residente em Lisboa.

 

Veja o vídeo

Amanhã, 10/3, ocorrerá a Manifestação Nacional Movimento Democrático das Mulheres, tradicionalmente organizada no primeiro sábado de março, que promete ser maior do que a de ontem.

Bruno Falci, de Lisboa – Portugal

(texto, fotos, vídeo do Bruno Falci; edição Maíra Santafé)

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

A luta feminista muito além dos novos normais

Feminismos convocam, em todo o mundo, manifestações e greves para retomar a potência dos encontros. Após dois anos de pandemia, e em meio à guerra, 8M amplia a brecha para lógicas pós-capitalistas do cuidado, partilha e circularidade

Revolução com cravos

Entre 25 de abril e 1° de maio de 1974, cineasta Glauber Rocha registrou – numa produção do Sindicato dos Trabalhadores da Produção de Cinema e Televisão – a queda do salazarismo