“Folha” manipula foto para fingir que bolivianos apoiam o golpe na Bolívia

Comite Brasileiro de Solidariedade ao Povo Boliviano e Contra o Golpe promove ato pela paz na Bolivia. Avenida Paulista 17.11.2019. São Paulo, SP - Brasil. Foto: Diego Baravelli

Segue abaixo carta-resposta escrita pelo Comitê Brasileiro de Solidariedade ao Povo Boliviano Contra o Golpe que explica a manipulação:

AO JORNAL FOLHA DE S. PAULO

Neste domingo, 7 de novembro, bolivianos e brasileiros ocuparam a avenida Paulista para se manifestar contra o golpe cívico-militar ao governo eleito de Evo Morales na Bolívia. Convocados por coletividades bolivianas de São Paulo e pelo Comitê Brasileiro de Solidariedade ao Povo Boliviano e Contra o Golpe, os milhares de manifestantes cantaram contra os golpistas Mesa, Camacho e Áñez; em solidariedade à resistência democrática do povo boliviano; em apoio ao presidente eleito Evo Morales; pela paz e em memória aos 23 indígenas mortos desde o início dos conflitos. Exibiram a Wiphala, bandeira símbolo das populações indígenas, queimada e desrespeitada em atos públicos pelos racistas golpistas.

A convocação explicitava claramente a postura da manifestação ao afirmar que “a luta do povo boliviano contra o golpe, contra Camacho, contra o fascismo, contra o racismo e a extrema direita, é uma luta que deve receber a solidariedade de todas as pessoas e da classe trabalhadora de todo o mundo que defendem as liberdades democráticas”. Tal postura era ainda reforçada pelo manifesto dos organizadores, que circulou por redes sociais e foi distribuído na manifestação, com os dizeres: “Abaixo o Golpe na Bolívia! Em defesa da democracia e dos povos originários da América Latina! Viva a resistência popular! Fora imperialismo da América Latina!”.

Hoje, segunda-feira, 18 de novembro, o jornal Folha de S. Paulo – que se vende como defensor da democracia, independente, crítico e apartidário – utilizou uma foto da manifestação na avenida Paulista, repleta de bolivianos, em reportagem com o título “‘Todos estão arrumando as malas para voltar’, diz refugiado boliviano” e o subtítulo “Segundo advogado, 1.500 pessoas deixaram a Bolívia por perseguição política no governo Evo”.

A reportagem da Folha de São Paulo não menciona, em nenhuma linha, a manifestação em São Paulo (salvo na legenda da foto); pelo contrário, inicia citando um ato público, no Acre, de supostos “refugiados bolivianos” comemorando a “queda do presidente Evo Morales”.

A reportagem da Folha de São Paulo não menciona, em nenhuma linha, que Evo Morales obteve mais de 70% dos votos dos eleitores bolivianos residentes no Brasil; pelo contrário, publica reportagem com o título “‘Todos estão arrumando as malas para voltar’, diz refugiado boliviano”.

A reportagem da Folha de São Paulo não menciona, em nenhuma linha, os gritos de “Evo no está solo” ou “Mesa, Camacho, Bolívia no te quiere” ou ainda “Áñez, racista, fuera de Bolivia” entoados durante quatro horas pelos milhares de bolivianos na avenida Paulista; pelo contrário, dedica meia página às acusações e aclamações de dois golpistas, um deles suposto “líder dos refugiados bolivianos no Brasil”.

A Folha de São Paulo engana e manipula ao ilustrar uma reportagem que dá voz a dois bolivianos golpistas com os rostos dos manifestantes bolivianos democráticos da avenida Paulista. Manifestantes estes silenciados pelo jornal, enquanto têm sua imagem utilizada de forma injusta e perversa.

COMITÊ BRASILEIRO DE SOLIDARIEDADE AO POVO BOLIVIANO E CONTRA O GOL

Fotos: Diego Baravelli, direto do ato em São Paulo

 

PE

COMENTÁRIOS

  • Parabéns aos jornalistas livres, sempre desmascarando os fascistas golpistas com mta coragem. Ainda há salvação para a democracia, enquanto 1(um) cidadão for livre.

  • Quer dizer q aquele povo irado q saiu às ruas após a 4° eleição do evo cocaleiro imorales era pq queriam q ele ficasse ? Então o povo faz greve , quebra tudo , fica nas ruas saqueando para dizer q gostou ? Nem criança acredita nisso . Democracia sem alternancia de poder às custas de irnas fraudadas é ditadura . Coisa q a petralhada gosta . Adoram chamar de democracia uma ditadura desde q sejam eles no poder . Já passaram dos limites da sanidade mental .

  • O poder das elites sempre foi acompanhada pelo monopólio dos meios de comunicação, disso concluímos que os meios de comunicação, as grandes corporações midiáticas, sempre responderam a interesses de uma elite da qual eles fazem parte. Daí a importância de exercitar a leitura crítica e daí, também, o esforço das elites em manter a grande maioria sem estudo ou, pelo menos, condenados ao analfabetismo funcional. Em tempos de guerra, não há outro nome para o que as elites estão fazendo para exterminar seus inimigos, as manipulações dos meios de comunicação ficam mais evidentes, mas a verdade é que seus métodos sempre foram os mesmos, só dessa maneira garantem seu monopólio.

  • POSTS RELACIONADOS

    >