Ciro Gomes pede voto para José Agripino Maia em comício no interior do RN; veja vídeo

Por Rafael Duarte
Da Agência Saiba Mais

O candidato à presidência da República pelo PDT Ciro Gomes participou neste sábado (22) de um comício no município de João Câmara, distante 80 quilômetros de Natal. Ele apoia a candidatura ao Governo do Rio Grande do Norte do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves, também do PDT.

Durante o evento, Ciro fez um discurso de mais de 20 minutos enfatizando a questão do desemprego, da segurança pública e também pediu voto aos eleitores para o senador e candidato a deputado federal José Agripino Maia (DEM), líder de uma das principais oligarquias em atividade na região Nordeste.

<em>- (vocês) tem uma tradição de politização. Eu sou amigo dos políticos daqui tudo (sic) vou até pedir um votinho aqui para Zé Agripino, deputado federal, porque eu fui colega dele.</em>

João Câmara é um conhecido reduto de agripinistas. O candidato à presidência da República de Agripino Maia, no entanto, é o tucano Geraldo Alckmin.

<em> </em>José Agripino Maia é investigado em quatro inquéritos no Supremo Tribunal Federal. Em dois deles a Justiça já aceitou a denúncia e transformou o senador potiguar em réu. Num dos processos, Maia é acusado de receber propina no valor de R$ 1 milhão das obras superfaturadas do estádio Arena das Dunas. Ele teria intercedido pessoalmente junto ao BNDES para a liberação de pagamentos em favor da construtora OAS.

Na outra ação, o Ministério Público também acusa Agripino de participar de um esquema de corrupção para a implementação da inspeção veicular no Detran. O parlamentar, segundo a denúncia, teria recebido R$ 1 milhão do consórcio que fraudou a licitação.

Agripino Maia iniciou a pré-campanha como candidato à reeleição para o Senado, mas diante das dificuldades de viabilizar o nome e em razão dos processos que responde na Justiça, ele desistiu e optou por tentar uma vaga para a Câmara Federal. Oficialmente ele nega que os processos tenham relação com a desistência e diz que optou pela mudança para ajudar a chapa de Carlos Eduardo.

O ajuste na campanha sacrificou a candidatura do filho Felipe Maia, deputado federal que não disputará a reeleição em 2018.

Além de José Agripino Maia, o senador Garibaldi Alves (MDB) também compõe a chapa do candidato do PDT ao Governo Carlos Eduardo Alves e não subiu no palanque de Ciro Gomes.

Em entrevistas recentes, Ciro afirmou que, caso seja eleito presidente da República, o MDB irá para a oposição.

<strong>Ciro em João Câmara</strong>

Em João Câmara, Ciro Gomes fez um discurso repleto de números e enfatizando a questão do desemprego no país. Ele demonstrou conhecimento sobre as regiões do Estado, citando as potencialidades de alguns territórios. O candidato do PDT também abordou temas como a segurança pública. O Rio Grande do Norte é um dos estados mais violentos do país.

Sobraram críticas aos governos Dilma, Temer e ao candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), que lidera a corrida para o Palácio do Planalto. Segundo Ciro, Bolsonaro foi vítima do próprio discurso, numa referência à facada que levou durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

O candidato do PT Fernando Haddad também foi bastante criticado. Ele elogiou Haddad como pessoa, mas lembrou da derrota ainda no 1º turno, em São Paulo, para o empresário João Dória.

Embora Ciro tenha subido o tom das críticas à Dilma e Haddad, sobraram afagos ao ex-presidente Lula, de quem o ex-governador do Ceará se diz amigo.

No final, pedi votos para o candidato ao Governo do PDT no RN Carlos Eduardo Alves.

https://youtu.be/VhmnQ8yGuKs

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>