Ato FPSM: Ditadura nunca mais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Segunda-feira, 5 de Agosto: Frente Povo Sem Medo leva milhares de manifestantes às ruas de SP em passeata do Masp ao 36º DP da policia civil, terreno onde, durante a ditadura cívico-militar (64-85), funcionou o famigerado DOI-CODI (Centro de Operações de Defesa Interna do Destacamento de Operações de Informação) responsável pela tortura e assassinato de militantes políticos.

O ato, em memória dos mortos e torturados pela ditadura e em repúdio às condutas antidemocráticas e sinalizações favoráveis ao período mais negro da História do Brasil no Século XX por parte do atual Governo Federal, foi um apelo para quaisquer forças sociais – sejam institucionais ou empresariais, privadas ou governamentais – pensarem o tamanho da responsabilidade que tem a frente. Que o barbarismo e o terror contra adversários políticos jamais voltem a ser referendados pelo estado brasileiro.

Fotos: Isabela Naiara, Cyro Assahira, Lucas Martins e João Bacellar

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Em Ribeirão Preto, cidade conhecida como a "Califórnia Brasileira", o casal Tatiane Pereira, 22, com o marido Mateus Cazula, 24, e o filho Henrique, 2, no dia 28 de maio. A prefeitura demoliu a casa que a família construía em terreno público abandonado. "Estamos sem trabalho e já fomos despejados por dever o aluguel. Ocupamos esse pedacinho da Favela das Mangueiras e com o auxílio-emergencial construímos as paredes pra morar. É o que dava. Foi tudo embora, e agora?" (Foto: Filipe Augusto Peres)

Campanha Despejo Zero: “Moradia é questão de vida ou morte na pandemia”

Em plena crise sanitária, aumento das remoções forçadas em todo o país mobiliza campanha nacional e internacional #despejozero. A intenção é pressionar aprovação do projeto de lei que proíbe que brasileiros sejam jogados no olho da rua e expostos ao coronavírus por não ter como pagar aluguel

>