Após corte de verbas nas universidades feito pelo Governo Bolsonaro, seguranças da UFBA paralisam atividades

Matéria originalmente publicada no Mídia 4P. Na noite desta terça-feira, 20, seguranças terceirizados da Universidade Federal da Bahia (Ufba) paralisaram suas atividades. A interrupção do serviço fez com que...

Matéria originalmente publicada no Mídia 4P.

Na noite desta terça-feira, 20, seguranças terceirizados da Universidade Federal da Bahia (Ufba) paralisaram suas atividades. A interrupção do serviço fez com que algumas unidades suspendessem as aulas.

“A Ufba foi surpreendida com a suspensão dos serviços de segurança agora pela noite, inclusive na Faculdade de Direito. Estamos determinando a suspensão das aulas do último horário de hoje. Amanhã avaliaremos a situação com a reitoria”, afirmou, em nota, o diretor da Faculdade de Direito, Julio Cesar de Sá da Rocha.

A paralisação do serviço da categoria ocorre após o Governo Bolsonaro ter feito cortes nos orçamentos de universidades públicas. Em nota, a Ufba informou que “o serviço de segurança foi normalizado” e que “as atividades da universidade prosseguem normalmente nesta quarta-feira e as aulas, em todos os turnos, serão ministradas”.

“A Universidade reconhece que a grave situação orçamentária decorrente do contingenciamento de recursos e do bloqueio de 30% de seu orçamento pelo Ministério da Educação afeta os membros de sua comunidade, e pleiteia a liberação imediata de todo o seu orçamento”, ressaltou, em nota, a Ufba.

Está prevista para esta quinta-feira, 22, uma reunião geral dos vigilantes da empresa MAP, que presta serviço à Ufba. Eles se reunirão às 8h30 no portão do campus de Ondina.

Em boletim, o Sindicato dos Vigilantes (Sindvigilantes) informou que a empresa MAP comunicou à entidade a suspensão do contrato de trabalho de 338 vigilantes que atuam nas unidades da Ufba.

O sindivigilantes informou, ainda, que adotará medidas cabíveis e que solicitou reunião com a Ufba. O Grupo MAP e o Sindvigilantes foram procurados pelo Mídia 4P, mas não foram localizados.

Categorias
#EleNãoBahiaDestaquesEducaçãoSalvadorUniversidades públicas
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta