A poucas horas das eleições, Haddad papa voto de personalidades

Até Filipe Neto, o maior youtuber brasileiro em número de seguidores, declaradamente antipetista, disse que vai votar no professor

O esforço da campanha de Fernando Haddad (PT) para virar o jogo contra seu adversário Bolsonaro (PSL) tem sido recompensado com novas adesões. Nas últimas horas antes de abrirem as urnas, blogueiros, artistas e políticos anunciaram voto em Haddad. Até Felipe Neto, o maior youtuber brasileiro em número de seguidores, declaradamente antipetista, disse que vai votar no pestista.

Jout Jout, influenciadora digital que ficou famosa na rede por falar de relacionamentos abusivos e feminismo, também atingiu seus milhares de seguidores com a sua declaração de voto antifascista. Outro apoio do mundo virtual veio de Tia Má, jornalista que fala sobre sexo e empoderamento da mulher negra, figura frequente do programa Global de Fatima Bernanrdes.

Gretchen, a ícone sexy dos anos 80, também usou a sua rede para dar o seu recado de que votará  no professor em nome de sua ancestralidade indígena e por seu filho Tamy, que é homem trans.

Dona de uma das maiores vozes da MPB, Maria da Graça Costa Penna Burgos, a musa Gal Costa, foi outra que tirou público seu apoio contra o ódio e se juntou aos amigos de longa data, Maria Bethania, Gil e Caetano.

Nem tão famosos, mas tão importante quanto, foram os apoios de personalidades políticas. A declaração de voto do ex-ministro Joaquim Barbosa, que abriu  a temporada judicial de caça a petistas com a condenação de lideranças no processo do Mensalão, foi o fato do dia, comentado nos principais meios de comunicação tradicional.

“Eu, por exemplo, sopesei os aspectos positivos e os negativos dos dois candidatos que restam na disputa. Pela primeira vez em 32 anos de exercício do direito de voto, um candidato me inspira medo. Por isso, votarei em Fernando Haddad”, escreveu Joaquim Barbosa no Twitter. A última vez que o ex-ministro tinha feito uso da sua rede foi para anunciar a desistência de participar do pleito como candidato. Joaquim Barbosa chegou a cogitar disputar a Presidência.

Outro opositor tradicional do PT de peso a declarar voto em Haddad, o atual secretário de Educação da cidade de São Paulo, Alexandre Schneider, tucano histórico da lavra do ex-governador Mário Covas. O apoio mesmo de última hora é importante porque fortalece a ideia de que o professor é o nome certo para unir o país em torno de uma ideia positiva de democracia política e crescimento intelectual e econômico.

A ultima adesão do dia foi do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot. Já era noite quando Janot publicou seu apoio a Haddad sem citar o nome do adversário fascistóide. “Já fui chamado de petista e antipetista. Já fui psdebista e anti tbem. Houve muita especulação sobre meu interesse eleitoreiro na minha atuação profissional. Nada se comprovou. Agora, não posso deixar passar barato discurso de intolerância e etc. Por exclusão, voto em Hadadad”, cravou.

Categorias
#EleNão
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish