Para jurista, mandados contra advogado de Bispo são perigo para democracia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Polícia Federal em Minas Gerais cumpriu hoje (21), dois mandados de busca e apreensão em locais ligados ao advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, responsável pela defesa de Adélio Bispo – o homem que teria confessado esfaquear Jair Bolsonaro (PSL), durante um ato de campanha no primeiro turno das eleições deste ano. As informações da operação são do site G1.

Para o jurista Pedro Serrano, professor de Direito Constitucional da PUC-SP, a ação, as vésperas de Bolsonaro tomar posse como presidente da Republica, é uma “temeridade para o direito de defesa, para o exercício da advocacia e sintoma de grave patologia em nossa democracia“.

Ouvido pelos Jornalistas Livres, Serrano disse estar preocupado com o precedente aberto com o caso. “Pelo que consta do noticiário trata-se de investigar diretamente o exercício profissional com base em suposições imaginarias, sem sequer nenhuma indicação clara de conduta que possa ser imputada como crime“.

A tentava de ligar o financiamento da defesa de Bispo com o crime ocorrido em 6 de setembro, em Juiz de Fora, MG, é clara. Segundo declarações feitas ao G1, o delegado Rodrigo Morais, que coordena as investigações da PF, afirmou que o objetivo da operação  é tentar identificar quem estaria financiando a defesa do autor do atentado.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>