Nadya, do Pussy Riot, exibe faixa “Fora Bolsonaro” em show em SP

A cantora também questionou quem mandou matar Marielle Franco

Foto: Adriano Choque / Jornalistas Livres

Nadya Tolokonnikova, do Pussy Riot, se apresentou no último sábado (20) em São Paulo no festival Garotas à Frente. A apresentação contou com uma mistura de arte e letras anti-Pútin, anti-indústria farmacêutica, pró-liberdade de decisões sobre o próprio corpo, entre outros temas, cantadas furiosamente sobre bases sampleadas de músicas punk.

Durante a apresentação a cantora questionou quem mandou matar Marielle Franco e exibiu uma faixa escrita “Fora Bolsonaro”. A platéia respondeu com gritos de Lula Livre.

A banda

Pussy Riot é um grupo de punk rock feminista russo que se tornou conhecido por realizar, em Moscou, flash mobs de provocação política, protestando contra o estatuto das mulheres na Rússia e, mais recentemente, contra a campanha do primeiro-ministro Vladimir Putin para a presidência da Rússia.

Em 3 de março de 2012, durante um concerto improvisado e não autorizado na Catedral de Cristo Salvador de Moscovo, duas integrantes da banda, Nadya Tolokonnikova e Maria Alyokhina, foram presas e acusadas ​​de vandalismo motivado por intolerância religiosa.

As integrantes da banda ganharam simpatia, tanto dentro da Rússia como internacionalmente, devido a acusações de tratamento cruel enquanto estiveram sob custódia, e ao risco de uma possível sentença de prisão de sete anos; mas também foram criticadas na Rússia por ofenderem os sentimentos religiosos do povo.

No jogo entre França e Croácia da final da Copa do Mundo na Rússia em 2018, membros da banda invadiram o campo em protesto contra o presidente russo Vladimir Putin sendo imediatamente retirados do campo.

O Festival

O festival O Garotas à Frente é um festival multimídia que celebra a participação ativa das mulheres em todos os âmbitos da sociedade. Mais do que feministas, as mulheres de hoje são seres políticos que reivindicam e ocupam os lugares que escolhem no mundo, questionando papéis de gênero tradicionais, posições de trabalho onde são minoria e se expressando sem pudores através de moda, cultura e artes.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Categorias
#EleNãoCulturaDireitos HumanosFeminismo
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta