É tempo de lutar e cultivar a esperança

Algumas considerações sobre o 28 de outubro de 2018.
1- Ontem vi muitos guerreiros e guerreiras chorando e emocionados. Todos sabem muitos bem que a vida será mais difícil para todos os brasileiros e que ainda haverá a morte de muitos mestres Moa, Priscila, Laysa, Charlione e Marieles.
2- Neste momento temos que cuidar mais de nos mesmos e de nossos companheiro(a)s. Estar junto e dizer sem medo o amor que sentimos um pelo outro e como o outro é importante para mim. Se abraçar e dizer para nós mesmos que a vida vale muito a pena ser vivida.
3- Se preparar para o pior e preparar a resistência, sabendo que o primeiro ano será o mais difícil. A crise econômica deve se agravar com o aprofundamento do projeto de Temer da exclusão social , o já famoso ponte para o inferno. Ainda mais com a reforma da previdência e as privatizações com anunciou o novo da economia e assim viveremos o desmonte do Brasil.Temos desde de já em pensar em formas para ajudar a sobrevivência das pessoas.
4- O presidente eleito, aquele que jurou defender a bandeira norte americana, já se prepara pra entregar as nossas riquezas a preço de banana para os gringos.
5- A brutalidade vai crescer e temos de ampliar nossas redes e estar cada vez mais próximo da periferia e dos movimentos sociais.
6- A direita não terá mais a desculpa do PT, o governo é deles e temos de agir para mostrar a população como é a sua verdadeira face, visto que nos últimos dias o lobo se vestiu com a capa de carneiro.
7- As políticas sociais serão destruídas e vão tentar instituir a cobrança de mensalidade nas universidades públicas e a censura ao pensamento crítico.Temos que usar a constituição também como uma arma para defender a pluralidade de pensamento.
8- O tema dos direitos humanos é cada vez mais importante e deveríamos pensar em preparar manifestações e intervenções para o 10 de dezembro.Na defesa de todos os direitos que já estão ameaçados, pois Bolsonaro pode vir na Globo dizer que defende a Constituição, mas isto não apaga os discursos anteriores do presidente eleito.
9- O discurso de ontem de Bolsonaro afinado com a estratégia do Exercito de apresentá-lo como um pacificador e da garantia da lei, trás um recado claro aos movimentos sociais, ao realçar o direito de propriedade acima do interesse social, já sinalizando que agirá com mão de ferro contra as ocupações.
10- Uma eleição não se ganha ou se perde em dois meses. Ela é fruto de anos de luta, e não perdemos agora, mas lá atrás. Este é um processo em que o pendulo da história saiu da centro esquerda para a extrema direita, e teremos muito trabalho pela frente.
11- O PT precisa fazer uma autocrítica de seus erros, somos humanos e falhos. Foram dois erros centrais: nós ‘embedamos” pelo poder e deveríamos cultivar mais a desconfiança em relação a ele. Enfim temos de cultivar mais os exemplos de Olívio Dutra e ter uma vida simples e não nos afastar das bases. E deixamos de lutar pela hegemonia, especialmente quando deixamos de formar quadros e investir em comunicação. Esquecemos de politizar nosso povo, e pouco espalhamos os valores que acreditamos.E temos de retomar o velho PT e voltar a ser um partido educador.
12- Desde do período do golpe de 2016, conseguimos avançar e estamos de pé, mas temos de reconhecer que isto não foi suficiente para reverter o quadro. Este processo é lento e teremos tragicamente ainda anos da chamada década perdida.Nesta campanha a esquerda aprendeu a radicalizar e a lutar. O Haddad de 2018 foi muito melhor que o de 2016 e creio que fez muito pelo PT. Em um momento tão difícil foi fiel ao presidente Lula, a história do PT e a campanha na TV e rádio nos devolveu o orgulho de ser de esquerda. E pra finalizar acabou a campanha na periferia, mostrando que nosso caminho passar por estar ao lado dos pobres. Ainda destaco que reaprendemos a ter mais alegria em nossa campanha e de investir na cultura contra o ódio.
13- Por último, queria dizer que perdemos esta campanha para um conjunto terrível de forças que atuaram contra nós , ou seja, o judiciário, a mídia golpista, os Estados Unidos, o exercito e o setor financeiro.Temos de dizer claramente que esta eleição está manchada pela prisão política e injusta de Lula e pelo escândalo do fake news. Caímos de pé e vamos continuar a nossa luta pelo bem do Brasil E para os tempos sombrios temos de ser um luz amorosa para resistir e desobedecer pacificamente para salvar vidas, preservar direitos e garantir um futuro digno para todos e todas.

por Emilio Lopez

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Vai demorar muito?

A coluna “Café com Muriçoca” é um espaço de compartilhamento literário dos Jornalistas Livres. O convidado de hoje é Nivaldo Brito, com a crônica “Vai demorar muito?”.