Contagem aberta: tudo de ruim que Bolsonaro já fez na presidência

O time. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Pra não perder a conta: vamos atualizar essa página a cada retrocesso, a cada medida do governo Bolsonaro contra a população, os direitos humanos e sociais e a democracia.

20 de Fevereiro de 2019:

  1. Bolsonaro leva a Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, projeto de reforma da previdência que prevê idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 para homens.

23 de Janeiro de 2019:

  1. Com Bolsonaro ausente no Fórum Econômico Mundial em Davos, o vice em exercício Hamilton Mourão assina decreto que altera a Lei de Acesso à Informação e permite a qualquer funcionário comissionado aplicar sigilo ultrassecreto a dados do governo.

15 de Janeiro de 2019:

  1. Bolsonaro assina decreto que facilita posse de armas no Brasil.

09 de Janeiro de 2019:

  1. Governo federal muda regras para livros didáticos: não é mais preciso citar fontes e estão permitidos “erros”. Também foi removido o texto que previa a diversidade étnica e cultural brasileira nas representações.
  2. Brasil sai do Pacto Global para a Migração da ONU.

08 de Janeiro de 2019:

  1. Vinculado ao ministério da agricultura, INCRA recebe ordem de suspender aquisição de terras para reforma agrária por tempo indeterminado.

07 de Janeiro de 2019:

  1. Apontando que vai seguir taxas de juros do mercado e com discurso liberal, toma posse como presidente da Caixa Econômica Federal, por indicação de Paulo Guedes, o especialista em privatizações Pedro Guimarães.

03 de Janeiro de 2019:

  1. Roberto Castelo Branco, indicado por Paulo Guedes, assume a presidência da Petrobrás.
  2. Diário Oficial publica exonerações de todos os cargos comissionados da casa civil que demonstrassem “alinhamento ideológico” com a esquerda.

02 de Janeiro de 2019:

  1. Ajustou o salário mínimo abaixo da inflação. Um reajuste de apenas 44 reais.
  2. Tirou da FUNAI a responsabilidade pela demarcação de terras indígenas e a transferiu para o ministério da Agricultura.
  3. Tirou do INCRA a responsabilidade pela demarcação de terras quilombolas e a trasnferiu também para o minstério da Agricultura.
  4. Por medida provisória, sem consulta ao congresso, extinguiu o Ministério da Cultura e pulverizou o Ministério do Trabalho, atribuindo suas funções a outras pastas.
  5. Na mesma MP, retira população LGBT das definições de diretrizes de direitos humanos.
  6. Extinguiu o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea).
  7. Desmontou a SECADI, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão.
  8. Transferiu o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) do Ministério da Fazenda para o Ministério da Justiça.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS