Mais recentes: crônica

  • NATAL DO FIM DO MUNDO

    Variações fizeram-se na mente durante o sono longo na chegada do domingo. Sonhei com um natal no fim do mundo. Todo presente era de grego e políticos anunciavam as ofertas nas portas das lojas, no alto dos edifícios. Ah, meu pai, nada lembrava a manjedoura ou a anunciação do...
  • ÁGUA QUE SACIA E NÃO CALA

    Manda mensagem o fotógrafo: a chuva chegou na Chapada dos Veadeiros e foi recebida com alegria, até percebermos que ela quase nem molhou, infelizmente um raio acendeu vários focos de fogo pelo cerrado, no Vale Verde e Vale Dourado. Foram 11 horas para apagar quilômetros de mata em chamas,...
  • O MUNDO DO FOGO QUE ASSINA

    Lamento no cerrado, ninguém canta no campo em brasa, a seriema corre em seus largos passos e os cervos pulam longe. Nem o tamanduá dá seu abraço, é tempo de  perna pra que te quero. Tudo migra e o fogo serve de farol.  Há certos momentos na vida em...
  • BATE UM LÉU

    Lembro-me que adormeci vendo cena de filme em estrada de fúria, Mad Max repaginado, cenas para embalar o sono e sonhar com tolices. Acordei já clareando o dia em cama revolta, a TV ligada. Vi aquela cara feia, acreditei ser a continuidade de Mad Max em filme que assistia,...
  • ATIRAR PEDRAS NOS PÁSSAROS

    Na ordem natural das coisas o certo é ver um monte de planta vivendo juntas e a bicharada satisfeita andando pelo mato. A cada ano que passa vejo mais tudo sendo desterrado, animais desorientados correndo sozinhos e, onde se via floresta extensa, alguns anos atrás agora é verde campo...
  • DAS ÁRVORES QUE CONTAM

    Falar de árvores em tempos de crise lembra despropósitos, mas se algazarram as plantas em tempos difíceis e ensurdecem os mais sensíveis. Se gritam é porque o momento ameaça. A presidência do país anda torta e tudo desemudece. No cu do mundo quer Temer liberar a queda do mato,...
  • Cidinha da Silva: Passou (ou não?)

    Ufa! Acabou o dia dos pais nas redes sociais. Depois que o Facebook se transformou no Orkut repaginado, os desabafos amargos de filhos e mães, fruto de sofrimento profundo causado pelos homens-pais que os abandonaram, tomaram a cena, passaram a rivalizar com as propagandas para venda de produtos. O...
  • NA TERRA AINDA ENCONTRAR NOVO O QUE NÃO É SEU.

    Sentou-se à mesa desnorteado ao brilho de suas lentes, abriu a mala empoeirada temendo as minúsculas baratas que pegam carona ao retorno das aldeias. Não sabia o motivo da tristeza que o acometia sempre ao fim das viagens; um vazio imenso inunda a vida quando encerram-se os atos, barcos...
  • Cidinha da Silva: Atotô

    Agosto é mês de gosto. E das coisas que mais me encantam é ver o povo de Obaluaê na rua, meu povo também, alimentando a tradição de distribuir saúde e fartura pela pipoca. Quem tem saúde, tem fartura. Uma senhora esmola na Avenida Sete acompanhada de um irmão mais...