agressão

  • Abraji emite nota covarde sobre agressão de Augusto Nunes a Glenn Greenwald

    Agressão de Augusto Nunes contra Glenn Greenwald: Vergonha, Abraji!

    A Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) emitiu uma nota covarde e abjeta, sobre a injustíssima agressão de Augusto Nunes a Glenn Greenwald, ontem (07/11), durante o programa de rádio Pânico, da Jovem Pan. Esquivando-se de apontar o verdadeiro agressor (Augusto Nunes), a entidade dos “jornalistas investigativos” ainda teve...
  • Glenn tem a solidariedade de jornalistas

    O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) lamentam e repudiam a agressão física do jornalista Augusto Nunes contra o jornalista Glenn Greenwald, ocorrida hoje, no programa Pânico, da Rádio Jovem Pan, em São Paulo. O SJSP e a...
  • Vereadores de Sergipe reproduzem discurso LGBTfóbico

    Por Mayara Peixoto para os Jornalistas Livres A Câmara de Vereadores do município de Estância, Sergipe, foi palco de cenas de intolerância e discriminação protagonizadas pelos vereadores Dionísio Neto (REDE) e Misael Dantas (PSC). A polêmica começou por causa do Projeto de Lei 74/2017, de autoria de Neto, que...
  • Macri descarregou seu ódio de classe contra a multidão mobilizada

    Via: La Izquierda Diário Tradução: Juliana Medeiros Dezenas de milhares se mobilizaram até o Congresso, horas antes de começar a sessão que trataria da contrareforma da previdência. Embora a CGT não tenha chamado para a mobilização, nesta segunda-feira uma multidão composta por dezenas de milhares de jovens trabalhadoras e...
  • Em defesa do Direito de Informação! Solidariedade à fotógrafa Marlene Bergamo

    Nós todos, fotógrafos, jornalistas, comunicadores e brasileiros nos encontramos indignados, nesse feriado de Finados, com a notícia da agressão à fotógrafa Marlene Bergamo, que, em exercício da profissão e em seus plenos direitos, foi agredida propositalmente, ferida à bala de borracha. Como se em dia dos mortos devêssemos temer...
  • Nós por nós, sempre!

    Por Lúcia Perez, de 16 anos, drogada à força, estuprada e empalada tomamos as ruas. Erguemos nossos cartazes por Beatriz, também de 16 anos, que foi estuprada por 33 homens no Rio de Janeiro. Gritamos numa só voz por Rayzza, militante feminista queimada viva, em Cabo Frio no Rio...