poesia

  • Poesia: Fábio Rodrigues

    Poesia: Angústia da certeza

    Esta poesia que dá luz a realidade da população em situação de rua, é de Fábio Rodrigues (@prazer.poeta) – poeta e morador do território da Cracolândia. Fábio decidiu viver de sua poesia, – poesia de rua, do fluxo. E agora, em tempos de pandemia, vê-se em quarentena a força...
  • Elisa Lucinda

    ELISA LUCINDA: Cadê o futuro que estava aqui?

    Tudo cancelado. Era março e, de repente, o futuro não estava mais ali, a ação nas ruas exigindo saber quem mandou matar Marielle,  minha apresentação no teatro São Pedro em POA, o curso de literatura viva para professores que participarão da primeira Festa da Palavra em Itaúnas… tudo se...
  • Poesia contra a barbárie na obra de Lorca e Neruda

    O que existe em comum entre Federico Garcia Lorca e Pablo Neruda além de estarem entre os poetas mais amados da língua hispânica? A luta contra o fascismo e a morte trágica: Lorca, uma das primeiras vítimas franquismo espanhol, executado por suas idéias e orientação sexual, e Neruda morto...
  • Outro tijolo na parede

    Em momento tão diverso das expectativas de minha geração, quando tantos seres saíram do armário depois e vingam, praguejam, cobiçam, implodem cultura, educação, o meio ambiente em suas relações; a flor paralisa, me pára. É flor? Das delicadezas sei que surpreendem a cada dia, individualmente, cada humano. Hoje  planta...
  • Livro de poesias com críticas sociais é censurado em São José dos Campos

    Essa semana, o autor do livro de poesias “Beirage”, George Furlan, teve todas as ações promocionais de seu projeto aprovado e em execução, suspensas pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo – FCCR, após uma repercussão negativa de dois poemas inseridos no livro, “Segunda-Feira” e outro sem título, com críticas à...
  • Lula em nós!

    Hoje meus olhos se abriram mais uma vez. Despertei, bocejei, me troquei. ‘Segundona’ brava! Corinthians, campeão! Minhas pernas saíram cedo para comprar pão. Meus lábios e minha boca sorveram um café quente. Passei rápido um creme nos dentes. Meus olhos leram manchetes, vitrines, fios de alta tensão, muros, outdoors,...
  • Poéticas do #Conune: Engrenagem de papel e caneta

    Escrevemos o futuro em nossos sonhos Transformamos a paisagem em desenho Transformamos desenho em educação Somos tipo máquina que chora Toda vez que nos fazem parcas voltas de rebeldias Somos fruto de nossa história Todos os dias, tardes e noites Somos continuadores da transformação interrompida Somos povo Povo Brasileiro...
Social Widget
Social Widget