Diário do Bolso: forrobodó com o Ricardo Salles

A Polícia Federal do Amazonas, dirigida por um tal de Alexandre Saraiva, fez a maior apreensão de madeira ilegal da história: 43.700 toras.

Mas aí teve o contra-ataque dos madeireiros: eles chamaram o Salles, que foi até lá, viu os documentos de duas toras (só faltaramosdas outras 43.698, kkk!) e disse que não tinha nada ilegal.

LER MAIS »

Nota da defesa de Lula após a “histórica” vitória

A defesa do ex-presidente Lula emitiu uma nota logo após a “histórica” vitória declarada no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira. Nela, Cristiano e Waleska Zanin destacam que “a incompetência da Justiça Federal de Curitiba é afirmada por nós, advogados do ex-presidente Lula, desde a primeira manifestação escrita protocolada em Curitiba, em 2016, e foi sustentada em todas as instâncias do Poder Judiciário até chegar ao STF

LER MAIS »

Tarifaço do Bolsonaro na conta de luz

A privatização da Eletrobras significa aumento nas contas de luz, desemprego e apagões.
O Governo Bolsonaro encaminhou ao Congresso Nacional a Medida Provisória (MP) nº 1.031, que pretende privatizar o Sistema Eletrobras. Atualmente cerca de 60% das ações pertencem à União.
Com isso, a privatização da Eletrobras significa um ataque e um crime financeiro dos mais cruéis contra o povo, trata-se da perda completa da soberania nacional sobre o setor elétrico brasileiro e que terá como consequência o imediato aumento em mais de 16,7% nas contas de luz das residências, penalizando ainda mais o povo brasileiro neste momento de crise sanitária e econômica.

LER MAIS »

Rodominério, NÃO; Meio Ambiente, SIM!

O projeto do Rodoanel ignora o Parque Estadual Serra do Rola Moça, sacrifica mananciais que abastecem Belo Horizonte e a Grande BH, sacrificará milhares de famílias que vivem da agricultura familiar, violentará fauna, flora, cachoeiras, Mata Atlântica, cerrado com campos rupestres, cavernas, áreas de proteção ambiental e cultural, pinturas rupestres, cemitérios e comunidades quilombolas

LER MAIS »

Imposto da gasolina cai 52% sem paridade com o dólar

É possível baixar o valor dos combustíveis e praticar um preço justo. O Observatório Social da Petrobrás estudou a fundo a composição de preços dos combustíveis e chegou à conclusão de que é viável vender a gasolina a R$ 3,60, o diesel a R$ 2,90 e o botijão de gás a R$ 60.E qual é a mágica pra isso? Nenhuma! É só acabar com o PPI (Preço de Paridade de Importação), a política adotada desde 2016 pela gestão da Petrobrás, que precifica os combustíveis de acordo com as variações do dólar e do petróleo internacional. Ao contrário do que muita gente pensa, não são os impostos os vilões dos preços altos dos combustíveis. Prova disso, é que se eliminar o PPI, os impostos embutidos nos preços dos combustíveis vão cair. Ou seja, o brasileiro vai pagar menos tributos no preço final da gasolina, diesel e gás de cozinha.

LER MAIS »