literatura

  • Arte contra a barbárie – Mulheres resistem na poesia

    O coletivo Mulherio das Letras, criado em 2017, conta hoje com adesão de mais de seis mil mulheres brasileiras residentes no Brasil e algumas no exterior. Nos últimos dias 2, 3 e 4 de novembro, realizou o II Encontro Nacional no Guarujá, SP, reunindo cerca de 200 de suas...
  • Meu amigo Ariano

    Meu amigo Ariano eu conheci ainda menino, mas fui conhecendo mais conforme fui crescendo. Acho que tinha uns 11, 12 anos quando o acaso nos apresentou. Foi na biblioteca da escola que a gente se conheceu. Corria o ano de 1985. No recreio do grupo escolar era fácil identificar...
  • Pode uma escritora negra falar sem que o mediador tente roubar a cena?

    Começou com uma frase de efeito: “a carne mais barata do mercado é a carne negra”, seguramente porque a expositora da noite era negra. Ali mesmo ele deu com os burros n’água, impactou negativamente a galera. O bordão seria repetido por mais quatro ou cinco vezes ao longo de...
  • “O orgulho negro é aprender a se manter vivo”

    Por Maria Carolina Trevisan Fotos: Terremoto Edição e montagem do vídeo: Joana Brasileiro A palavra organiza o caos. Em #Parem De Nos Matar!, livro mais recente da pensadora e dramaturga negra Cidinha da Silva a crônica tem a tarefa de entregar ao leitor a crueza da realidade. Com palavras precisas,...
  • Uma fortaleza de livros em Havana

    Por Raquel Wandelli, de Havana, Cuba, especial para os Jornalistas Livres Exceto a imponente beleza marítima e arquitetônica da fortaleza erguida na entrada da Baía de Havana, o cenário não é muito diferente do característico de uma grande feira pública em qualquer país capitalista. Ônibus chegando e partindo, música,...
  • [Porto Alegre] Dilma é ovacionada em evento na capita gaúcha

    PRIMEIRAMENTE, FORA TEMER! O lançamento do livro “Resistência ao golpe em 2016” em Porto Alegre, nesta sexta-feira (3), iniciou com o grito mais popular para aqueles que lutam contra o golpe: o “Fora Temer!”. O grito de “Volta querida!”, por sua vez, nunca esteve tão forte na capital gaúcha....
  • Quando as palavras queimam

    Por aqui, a cidade chora. Chora forte. Inunda. No bairro da Luz, o Museu da Língua Portuguesa arde. Enquanto escrevo, vejo pela rede o fogo cada vez mais alto. O teto do Museu, uma construção histórica do século XIX, que faz parte da Estação da Luz, já não existe...