Mais recentes: poesia

  • Poesia: Fábio Rodrigues

    Poesia: Angústia da certeza

    Esta poesia que dá luz a realidade da população em situação de rua, é de Fábio Rodrigues (@prazer.poeta) – poeta e morador do território da Cracolândia. Fábio decidiu viver de sua poesia, – poesia de rua, do fluxo. E agora, em tempos de pandemia, vê-se em quarentena a força...
  • Elisa Lucinda

    ELISA LUCINDA: TOCA, MORAES MOREIRA! TOCA MAIS!

    Enquanto escrevo, meu vizinho bota pra tocar bem alto “Deixa eu penetrar na sua onda“, e o Brasil todo, nas rádios, nas casas dos milhares de fãs confinados e em tudo, só toca Moraes Moreira. O poeta, mestre, instrumentista e referência, é síntese da utopia de vida vivida pelos...
  • Elisa Lucinda

    ELISA LUCINDA: Em Portugal, com o Brasil a doer no coração

    Estou em Póvoa de Varzim, terra de Eça de Queiroz, lindo lugar que pertence ao distrito do Porto, lançando o livro “A fúria da beleza” por uma editora luso cabo-verdiana, Rosa de Porcelana… Uma beleza. Somos muitos autores neste Encontro Internacional Literário bem chamado de Correntes D’Escritas. O país que...
  • Anta

    Seu nome é anta.  Vivia até feliz o bicho até então,  tão inteligente no mato e campo, dócil  ingênuo  curioso.  . Até me meti em prosa antes desses tempos, com ela. Me disse coisas lindas contando frutos maduros para mim. Carne boa sendo bem picada e bem assada, sabe disso...
  • Elisa Lucinda

    Elisa Lucinda: Quero a história do meu nome

    É Brasil. Há uma esfera civil que os perseguidores da democracia não alcançam. Algo parece estar para acontecer. Estou em Brasília no Simpósio Internacional “Indígena-Negro, da ancestralidade ao futuro”, promovido pelo MPT e a OIT. Estou entre os meus e descubro que minha tribo me perdeu. Quando entraram aqueles...
  • Índios Atravessando um Riacho (O Caçador de Escravos)

    Madeireiro, garimpeiro, capitão do mato, petroleiro. palavras sem lei, sem dó, direito infeliz da cobiça, leilão das almas . Sinônimo, verbo perversão . Gente desdentadas em seus nós, sede capital, fome de carne ou fortuna . O óleo de averno a nos untar, ungir....
  • Na zona da poesia

    É dia da Amazônia, essa porra toda. Olhar com calma não é possível, zona de guerra, mentira verde.  Árvore mata-se com serra e fogo. Um dia será caatinga. . Gente e cobiça. A cobiça é verde, ouro e fogo reluzem. . Gente arcaica, originária. Gente flor. Gente cabocla, ribeirinha,...
  • Morre a poeta Tula Pilar Ferreira, uma Carolina dos saraus da periferia de SP

    Poeta, dançarina, atriz, ex-empregada doméstica, vendedora da revista Ocas, Tula Pilar nasceu em Leopoldina, Minas Gerais, em 1970. Quando tinha dois anos mudou-se para Belo Horizonte com a mãe e as irmãs. Aos sete, começou a ajudar a sua mãe, que era cozinheira, no trabalho, não deixando de lado...
  • Incidência da VERDADE entre a poesia.

    A porta da verdade estava aberta, mas só deixava passar meia pessoa de cada vez.   Assim não era possível atingir toda a verdade, porque a meia pessoa que entrava só trazia o perfil de meia verdade.   E sua segunda metade voltava igualmente com meio perfil. E os...
Social Widget
Social Widget