Urgente! Aldeia Pequi em Prado-Ba é atacada, de novo

Ameaças aos Pataxó do Território Indígena Comexatibá em Prado – extremo sul da Bahia – se concretizam

Casa queimada.

Por Tatiana Scalco- Ciranda – parceira com Jornalistas livres

Casa queimada.

Hoje (24.01.2020) por volta das 10h, um gol branco com quatro pessoas invadiu a aldeia Pequi, localizada no Território Indígena Comexatibá, em Prado, extremo sul da Bahia. Chegando lá, o veículo se deslocou para o lado oeste da aldeia, na área que fica perto da praia. 

Dois homens armados desceram do veículo e se dirigiram, primeiro, a uma casa de palha. Atearam fogo e queimaram a casa, com tudo o que tinha dentro: roupas, documentos, mantimentos, moveis. O indígena Mestia que lá morava, estava trabalhando no momento do ataque. Quando chegou, viu sua casa toda destruída, só ficou com a roupa do corpo. 

Em seguida, os homens foram em direção a outra casa, desta vez de alvenaria, que estava perto. Utilizando marretas, eles iniciaram a destruição. Lá morava uma família indígena com seis pessoas que estavam fora. 

O indígena Ligu, jovem pescador, testemunhou o início da ação. Quando viu o que estavam fazendo, destruindo tudo, Ligu correu para a aldeia em busca de ajuda. Ao retornar com alguns outros indígenas as casas já estavam destruídas. 

Ticum, agente de saúde e liderança da Aldeia Pequi informou que fizeram boletim de ocorrência do fato na delegacia de Prado (BO 8o CRPN-PRADO- BO-20.00172). As lideranças indígenas irão falar com o delegado na próxima segunda-feira (27.01.2020).

A escalada de violência e os ataques contínuos ao território indígena Comexatibá (Cahy-Pequi) preocupam a comunidade, destaca Ticum. O ato de violência acontece 42 dias após os ataques à Aldeia Pequi de dezembro de 2019. E nove dias após reunião de emergência realizada na Aldeia com participação da Defensoria Pública da União, Programa Nacional de Proteção de Direitos Humanos (PPDDH), Centro de Estudos sobre Povos Indígenas e Populações Tradicionais (Cepit) da Universidade estadual da Bahia (Uneb), Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e Funai.  

Consultado, o Defensor Público Federal, Vladimir Correia, informou que acompanha a situação. A Funai também tem conhecimento dos fatos. Domingos Andrade do CIMI destaca “a preocupação com a situação de violência desgovernada, onde pessoas fortemente armadas, invadem as áreas (da Aldeia Pequi), cometendo este tipo de crime contra a comunidade”.

 A comunidade está em alerta. Revoltada com as incursões de indivíduos que continuam invadido seu território tradicional e destruindo suas casas.

Para acompanhar o caso leia: 

URGENTE: Alerta para ameaça de ataque à Aldeia Cahy – Prado/BA durante o recesso de final de ano (http://www.ciranda.net/?URGENTE-Alerta-para-ameaca-de)

Ataque na virada do ano (http://www.ciranda.net/?Ataque-na-virada-do-ano)

Violência contra os Pataxó de Comexatibá, na Bahia, motiva reunião de emergência (http://www.ciranda.net/?Violencia-contra-os-Pataxo-de)

Veja o que publicamos sobre o assunto:

Violência contra os Pataxó de Comexatibá, na Bahia, motiva reunião de emergência 

Alerta para ameaça de ataque à Aldeia Cahy – Prado/BA durante o recesso de final de ano

Categorias
BahiaDestaquesDireitos HumanosÍndios
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish

Relacionado com

  • Massarandupió

    Quando não se consegue esquecer as tolices, talvez seja porque não são tolices. Nunca escrevi sobre culinária e a arte de cozer bons alimentos e vendê-los no justo preço...
  • Hippie Arembepe

    Não diga que a canção está perdida, cantava Raul Seixas.  Nesses dias difíceis em que vivemos, em que vontades escusas de restrição das liberdades querem impor-se e instigam violências...
  • Da Bahia não via, vejo

    Quando pisei na Bahia tudo desdizia, pois só via exclusão. Não fosse Iemanjá, que vi sair das águas, voltava, retornava. Mulher, lua cheia te anuncia. Doce delírio não me...
  • Indígenas brasileiros sob ataque: Organizar para Resistir!

    Por: Maycon Esquer. Especial para o Jornalistas Livres No início do ano, estivemos na grande reunião convocada pelo líder kayapó Cacique Raoni, no norte do estado de Mato Grosso. Para...