Refinarias protegidas, ameaças terroristas não são concretizadas

Terroristas-bolsonaristas tentam bloquear o acesso de trabalhadores às refinarias da Petrobrás. No momento as unidades funcionam normalmente.

Depois do ataque de ontem (8) aos Três Poderes da República, terroristas bolsonaristas tentam parar refinarias, ameaçando ocupá-las e as distribuidoras de combustíveis pelo país. O objetivo é inviabilizar o acesso aos combustíveis e parar o país.

Usando o slogan “Sem combustível o Brasil vai parar”, os terroristas bolsonaristas tentam bloquear o acesso de caminhões tanque às bases das empresas distribuidoras de combustível, bem como bloquear o acesso dos trabalhadores às refinarias da Petrobrás. Distribuídos em pontos chave pelo país, até o momento esses terroristas bolsonaristas têm sido contidos. Mas não desistem e continuam na frente das unidades.

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) solicitou à Petrobrás ampliação da segurança nas unidades de refino. Desde ontem forças de segurança e representantes dos sindicatos dos petroleiros ligados a FUP estão de prontidão e reprimiram por meio de ação conjunta as tentativas criminosas dos terroristas-manifestantes-bolsonaristas. Entre as medidas protetivas sugeridas pela FUP estão o reforço no relacionamento com os órgãos de segurança pública e inteligência, presença de lideranças em todas as unidades operacionais e prédios administrativos, reforço e dobra das equipes de vigilância, monitoramento dos ambientes externos e elevação do nível de segurança das unidades.

O coordenador-geral da FUP, Deyvid Bacelar, acompanha as movimentações nas unidades. Os sindipetros em todo o país seguem com o monitoramento das unidades da Petrobrás. “A tentativa frustrada dos terroristas de invadir as instalações da Petrobrás demonstra a importância estratégica da nossa empresa. Aumenta a nossa responsabilidade de reconstrução da companhia, extirpando aqueles que atacam a democracia, as instituições e a Petrobrás. Nenhuma refinaria foi bloqueada, graças à atuação da FUP e seus sindicatos junto aos poderes públicos”, disse o dirigente.

Situação das Refinarias

Em São José dos Campos – SP, a Refinaria Henrique Lage (Revap) é o foco de cerca de 30 terroristas-manifestantes-bolsonaristas. Até hoje de manhã eles se mantinham na entrada da unidade, abordando caminhões e tentando evitar o acesso à refinaria. A Polícia Militar local está presente, não deixou os terroristas-manifestantes-bolsonaristas bloquearam a unidade e garante o fluxo e a segurança dos caminhoneiros.

Em Betim – MG, cinco terroristas-manifestantes-bolsonaristas estão o canteiro central da via de acesso à Refinaria Gabriel Passos (Regap). Eles não conseguiram bloquear a via e as polícias municipal e federal e o Corpo de Bombeiros estão no local.

Em Duque de Caxias-RJ, o foco dos terroristas-manifestantes-bolsonaristas é a Refinaria Duque de Caxias (Reduc). Na noite de ontem e durante a madrugada manifestantes lá estiveram, mas foram dispersos. A Polícia Militar e o Batalhão de Choque estão presentes. Hoje pela manhã os terroristas-militantes-bolsonaristas não se fizeram presentes.

Em Canoas-RS, a Refinaria Alberto Pasqualini (Refap) está na mira. 10 terroristas-manifestantes-bolsonaristas encontram-se acampados na rótula em frente à unidade. A Polícia Militar, a Polícia Rodoviária Federal e o Batalhão de Choque estão presentes. Não há bloqueio.

Já em Araucária-PR, a Refinaria Presidente Getúlio Vargas (REPAR) esteve sob a mira dos terroristas-manifestantes-bolsonaristas. Durante a madrugada o Batalhão de Choque da PM-PR retirou todos que estavam bloqueando o acesso. Para evitar que retornem, a Polícia Militar mantém massivo efetivo no local.

“A situação na Repar (Refinaria Presidente Getúlio Vargas, no Paraná) na manhã desta segunda-feira é de normalidade, porém aconteceu tentativa de bloqueio de distribuidora privada localizada próxima à refinaria por parte dos terroristas durante a madrugada. O movimento foi reprimido pelo aparato policial de segurança”, informou o presidente do sindipetro do Paraná e Santa Catarina, Alexandro Guilherme Jorge.

E, ao lado do rio Negro em Manaus-AM, na frente da Refinaria Isaac Sabá (REMAN) encontram-se cerca de 50 terroristas-manifestantes-bolsonaristas. Eles ocupam parte da via de acesso, mas não conseguiram bloquear a via. A Polícia Militar do Amazonas também mantém expressivo efetivo no local.  

Apesar das ameaças de atos golpistas de terroristas-bolsonaristas contra as refinarias da Petrobrás, até o momento as unidades seguem com funcionamento normal, com a presença de forças de segurança e representantes dos sindicatos dos petroleiros ligados à Federação Única dos Petroleiros (FUP).

A reportagem segue acompanhando a situação.

Leia também:

Esdras, o patriotário dos calotes?

Acampamento de patriotários é desmontado em Belo Horizonte

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

A cor do golpe

Os discursos de ódio a conta gota, institucionalizaram-se. Eles destilam o ódio a negros, mulheres, LGBTIQIA+, nordestinos e pcd’s.

Democracia para sempre

Em seu primeiro discurso como presidente da república pela terceira vez, Lula destaca seu compromisso com a democracia