EDITORIAL: Neymarzinho e Neymarzão às voltas com a mulher-diaba!

TV Globo mostra no Jornal Nacional um gol de Neymar em matéria sobre estupro. Entendeu o que é que importa? Na dúvida, a mulher é sempre culpada

Neymar no vídeo que gravou para se defender da acusação de estuprador
Neymar no vídeo que gravou para se defender da acusação de estuprador

Neymar é inocente! A Globo quer que seja! O machismo quer que seja! A CBF quer que seja! Os patrocinadores dele querem que seja —Neymar possui patrocínio de “gigantes”, como Nike, Air Jordan, Qatar Nacional Bank, Beats by Dre, Red Bull, McDonald’s, Wish, EA Games, Gillette, Honda, Mastercard e Panini, entre outros.

“A mulher que o acusa é uma oportunista”.
“Foi uma armadilha”.
“Um homem tentou chanteagear o pai do Neymar em nome dela”.

O big business em torno da marca Neymar Jr. se crispa de nervoso com a acusação: “ESTUPRADOR”.

♦Ah, mas a moça foi pra Paris com tudo pago pelo craque! Ficou hospedada em um hotel de luxo.
♦Trocou mensagens “quentes” com Neymar, afirmam as colunas de fofocas e os programas vespertinos da TV, como se isso justificasse alguma coisa.

“Quem está na chuva é pra se molhar”, alega o machismo!

Então, vamos lá!

  1. Neymar gravou um vídeo logo depois de a moça fazer a denúncia do estupro, em que confirma que os dois combinaram o encontro e que ele a convidou para ir a Paris. Também teria havido troca de mensagens e de fotos e vídeos entre eles, com conteúdo erótico.
  2. Pela denúncia divulgada, Neymar chegou ao hotel embriagado e a forçou ao sexo contra a vontade dela. O nome disso é ESTUPRO. Sempre que um homem força uma mulher a atos sexuais contra a vontade dela, o nome é ESTUPRO. Pode ser um desconhecido, o marido, pode ser namorado, amante, pode ser ficante, rolo ou o que for. É ESTUPRO. E quem o comete é ESTUPRADOR.
  3. Só o machismo e a rendição sem vergonha ao poder econômico e midiático de Neymar e seus patrocinadores autoriza alguém, no atual estágio das investigações, a atacar a honra e a credibilidade da moça que denuncia o atleta.
  4. O pai de Neymar disse que um advogado apresentou-se em sua casa, dizendo representar a moça e chantageando-o para não acusar o jogador. O nome desse advogado? Ninguém sabe. A conversa com esse advogado também não foi registrada pelo empresário-pai de Neymar, apesar de ter sido realizada no apartamento dele. Esquisito, não é? Alguém parou para pensar que essa reunião, se ocorreu —SE—, pode não ter sido pedida ou organizada pela moça?
  5. Para provar que foi “seduzido” pela moça, Neymar mostrou vídeos íntimos que ela lhe mandou. Cometeu mais um crime. Divulgar a intimidade de alguém é crime, e é passível de indenização por dano moral e material, como determina a Constituição Federal em seu artigo 5º inciso X: “São invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito à indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação.”
  6. Neymar Jr. e os executivos dos negócios que envolvem sua marca sabem muito bem que a moça ficaria famosa se aparecesse como a nova namorada do craque… Se ela fosse mesmo uma oportunista, uma aventureira, ela poderia conseguir uma vaga como apresentadora em algum programa da RedeTV, virar “fazendeira” na Record, aparecer na capa da revista Caras, dar uma entrevista no Fantástico, ou o que for. Por que ela teria preferido esse penoso caminho da denúncia, sabendo que enfrentaria o machismo e todas as suspeitas que, inevitavelmente recairiam –como estão recaindo— sobre ela?
  7. Infelizmente, em pleno 2019, e apesar de lutas travadas por mulheres corajosas como as que denunciaram o assédio em Hollywood ou na TV Globo, antes de mais nada, as pessoas ainda desconfiam da mulher, “diaba”, “sedutora”, “traiçoeira”, “bruxa dos infernos”, que enganou o pobre menino rico Neymar. Coitado!
  8. E, como a Justiça no Brasil está em frangalhos, pautando-se vexaminosamente pelo poder da big mídia, o mais provável é que assistamos à Copa América que se iniciará no dia 14 de junho abraçados e abraçadas, todas e todos, em firme convicção (porque é isso o que importa, não é?) na “honestidade” do atleta cai-cai. Porque, sabemos, no fundo, que o que conta é a bola rolando, os milhões entrando e algum blá-blá-blá que o Galvão Bueno invente pra nos distrair dessa triste realidade.

#Metoo

Categorias
DestaquesDireitos HumanosEditorialFeminismoGeralmulheresPolíticaviolência
3 comentários:
  • Paulo de moraes
    4 junho 2019 at 11:59
    Comente

    Acho que, sim, se for comprovado é isso, estupro, mas apesar de não ter nenhuma afinidade com futebol e esse escroto do Neymar, essa matéria pesa nas palavras e parece condenar o jogador, ou melhor, colocando em caixa alta e em negrito a palavra estupro usa de método discutível. Esperemos a investigação e sugiro que esses jornalistas livres, que admiro, façam sua parte investigando e acompanhando esse caso de maneira isenta e com menos sangue nos olhos.

  • Silvia Oliveira
    4 junho 2019 at 12:45
    Comente

    Que defesa! Ela merece ser estuprada e vou prova divulgando as fotos. Assumiu?

  • ANA
    8 junho 2019 at 0:14
    Comente

    Belíssimo texto! Infelizmente, ainda nos deparamos com conceitos pré estabelecidos fruto de uma sociedade machista! E a figura feminina permanece nesse lugar.

  • Deixe uma resposta