Dia de defesa da Democracia: Galeria de fotos

Ato pela democracia no Largo São Francisco. Foto Lucas Martins / Jornalistas Livres

Ontem (11) dois manifestos em defesa da Democracia e em repúdio aos ataques de Bolsonaro contra as eleições foram lidos na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP). Assim como em 1977, quando uma carta denunciando a ditadura foi lida no mesmo lugar.

A primeira foi organizada por diversas organizações, em especial a FIESP e a FEBRABAM, e apontou para um aceno que de que as elites financeiras não estão totalmente alinhadas com Bolsonaro (PL). A segunda, organizada pela FUDUSP, em defesa do Estado Democrático de Direito denunciou os ataques de Bolsonaro contra as instituições do país e contra as urnas eletrônicas, esta já alcançou mais de um milhão se de assinaturas, em apoio, no final do dia.

Entre as pessoas que assinaram a carta em pela democracia estão Chico Buarque, Roberto Setúbal, Nélida Piñon, presidente interina da ABL, 12 ex-ministros do STF, entre outros. Segundo os organizadores da iniciativa, que organizaram os apoiadores por profissão, as categorias identificadas até agora, foram: 6.619 policiais, 519 delegados de polícia, 727 porteiros, 8.973 desempregados, 5.045 enfermeiros, 4.217 motoristas, 28.868 engenheiros , 15 mil médicos e 4231 magistrados.

Milhares de pessoas acompanharam a leitura em todo o país. Diversas universidades realizaram leitura paralelas. No Largo São Francisco, região central de São Paulo, onde fica a FDUSP cerca de dez mil pessoas, segundo a organização, estiveram presentes para a leitura que acabou por volta das 12:30h.

Bolsonaro ironizou as cartas dizendo que o dia era marcado por um importante evento: a queda no preço do diesel, que foi reduzido em 4% pela Petrobrás.

Às 17h movimentos sociais e organizações estudantis, como a UNE, MTST e diversos partidos realizaram um ato na Av Paulista para fazer coro com o ato realizado pela manhã, as palavras de ordem eram o apoio pela democracia e muitos puxaram “Fora Bolsonaro”.

Veja no ensaio abaixo como estava a manifestação no Largo São Francisco e na Av Paulista feitas por nossos fotógrafos Sato do Brasil e Lucas Martins.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

A cor do golpe

Os discursos de ódio a conta gota, institucionalizaram-se. Eles destilam o ódio a negros, mulheres, LGBTIQIA+, nordestinos e pcd’s.

Democracia para sempre

Em seu primeiro discurso como presidente da república pela terceira vez, Lula destaca seu compromisso com a democracia