Bolsonarista diz que universitários de Santa Maria merecem ser “queimados vivos”

O fascista não teve um só momento de compaixão pela dor das famílias e pelas sequelas que muitos feridos de Santa Maria carregam até hoje
Incêndio na boate Kiss, uma tragédia que marcou para sempre a cidade gaúcha de Santa Maria
Incêndio na boate Kiss, uma tragédia que marcou para sempre a cidade gaúcha de Santa Maria

Quando parecia que todas as atrocidades possíveis já tinham sido cometidas pelo bolsonarismo, eis que surge uma mais abominável ainda. O bolsonarista Bibo Nunes (PL-RS), deputado federal não reeleito, disse em uma live que os estudantes da Universidade Federal de Santa Maria merecem “ser queimados vivos”, por que protestaram contra os cortes de verbas nas universidades federais. Ele ficou furioso porque entendeu que o protesto era contra a política educacional de Jair Bolsonaro. E era.

Disse Bibo:

“Ser rico não é problema Agora, ser rico e não ter noção, como esses daí, ser rico e não ter noção, são uns coitadinhos. É o filme ‘Tropa de Elite’. Sabe o quê que aconteceu? Olha o filme um. Pegaram aqueles coitadinhos, aqueles riquinhos ajudando pobres, se deram mal, queimados vivos dentro de pneus. Queimaram vivos dentro de pneus! E é isso que estes estudantes alienados, filhos de papai, que têm grana, merecem. Não que eu queira isso, mas merecem. Porque estão arriscando acabar com o nosso Brasil que está crescendo muito bem, um Brasil que não tem mais roubo, que acabou com a corrupção. Gostou gostou, não gostou, tchau”

Bibo, cujo nome verdadeiro é Alcibio Mesquita Nunes, poderia ter dito que os estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, uma das melhores do país, merecem “ser enforcados”. Poderia. Mas o propósito era ferir mais e direto no coração. Como se sabe, a cidade gaúcha de Santa Maria ficou marcada pela tragédia da boate Kiss, que matou 242 pessoas em 2013, e deixou mais de 600 feridos graves. Um trauma que todos os dias é lembrado por pais, mães, irmãos e amigos das vítimas, todas muito jovens. Eu estava lá, no velório das vítimas, no hospital que cuidou dos feridos, nos dias seguintes, enviada que tinha sido pela “Folha de S.Paulo” para cobrir a catástrofe.

Poucas vezes vi tamanha dor, tamanho desespero, tanto sofrimento concentrado em um só lugar –no caso, o Centro Desportivo Municipal, para onde os corpos foram removidos até seu reconhecimento e envio para enterro. Eram jovens, muitos dos quais estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, cujas vidas foram ceifadas pelo fogo, pelo gás cianeto (veneno usado nos campos de concentração nazistas), produzido pela queima do revestimento acústico da boate, ou pelas partículas de piche resultante do isopor queimado que, uma vez inaladas pelas vítimas, faziam os alvéolos pulmonares grudarem uns aos outros, causando uma morte terrível por asfixia.

Dor demais. A cidade toda se juntou, numa manifestação comovente de solidariedade, amor e cuidado, para ajudar os parentes desesperados, para conseguir medicamentos essenciais, para consolar os enlutados, apoiar os doentes, para o que fosse. A presidenta Dilma Rousseff (PT) enviou para a cidade uma força-tarefa do SUS, para ajudar no tratamento. E até tecnologia médica usada na Guerra do Iraque para o cuidado de queimados foi empregada.

Cada um dava o que podia. Psicólogos montaram a clínica em um canto; fiéis da igreja católica, de múltiplas denominações evangélicas, espíritas, mórmons, todos rezavam com familiares
ou só ficavam juntos, dando apoio. Houve quem colocasse um cartazinho em que se lia: “Oferece-se hospedagem.” Empresas de ônibus ofereciam passagens grátis para familiares de outras cidades.

O estudante de engenharia de Produção da UFSM Hedley Lemos, 26, que perdeu cinco amigos no incêndio, levou R$ 12 mil, coletados pelo Facebook, para ajudar parentes mais pobres das vítimas. Um professor de física da UFSM disse à Folha que a explicação para tanta solidariedade está no fato de a cidade de Santa Maria se identificar como cidade universitária e ter orgulho disso.

Mas Bibo não teve um só momento de compaixão pela dor das famílias, pelas sequelas que muitos feridos carregam até hoje. Em uma live, no último dia 9, ele tachou os estudantes da Universidade Federal de Santa Maria de “inúteis”, de usuários de drogas e afirmou que eram ricos alienados.

O deputado vinculou o protesto à eleição: “Vocês estudantes de Santa Maria… Olha aqui pra mim! Sou o deputado federal Bibo Nunes. Vocês são a escória, vocês são a vergonha, vocês não produzem nada, vocês são parasistas (sic) que querem esconder a incompetência de vocês através de um “L” de Lula ladrão”, disse.

Veja a repugnante declaração de Bibo no vídeo abaixo:

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Tarcísio fake de Freitas. Imagem: Amanda Perobelli/Reuters

Tarcísio fake de Freitas

Analisando com atenção a cronologia que antecedeu o fato fica fácil desmontar a tese de atentado