Artistas e intelectuais se manifestam contra censura da UNE – União Nacional dos Estudantes

Fotos: Vitor Pastana

O ministro Sergio Banhos, do Tribunal Superior Eleitoral, aceitou o pedido da campanha de Jair Bolsonaro (PSL) e mandou tirar do ar páginas da União Nacional dos Estudantes (UNE) que se opunham ao candidato. A entidade estudantil recebeu um prazo de 48 horas para a retirada de três links, sob pena de multa diária.

Leia a integra da decisão aqui

As páginas censuradas são sobre a nota assinada pela UNE, a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e a Associação Nacional dos Pós-Graduandos (ANPG) e outras duas publicações contrárias a Bolsonaro: “UNE, UBES e ANPG assinam carta contra o ódio e saem em defesa da democracia”, “Motivos para não votar em Bolsonaro”; e vídeo, publicado na página oficial da UNE no Facebook, em que a diretora da entidade manifesta-se contrariamente ao candidato.

A coligação do candidato de extrema-direita apresentou representação ao TSE sustentando que a entidade estudantil publicou postagens negativas ao cabeça da chapa do PSL, o que seria ilegal por se tratar de pessoa jurídica de direito privado.

Fotos: Vitor Pastana / CUCA da UNE

COMENTÁRIOS

  • Todos devem respeitar as decisões do judiciário…a esquerda no Brasil ainda acha que não precisa… patético…isso sem falar que a UNE é dirigida por pseudo estudantes que são encontrados apenas nos DCEs…fazendo nada…e raramente em sala de aula, estudando…

  • É patético seu comentário, Inácio da Silva. Quanto você vê além de um palmo do nariz? A globo? A record? A bandeirantes?

  • POSTS RELACIONADOS

    Censura NÃO! Cuiabá luta pelo direito de ensinar e aprender

    Enquanto berram nas redes por seu “direito” de mentir, ofender e ameaçar, grupos bolsonaristas contam com apoio explícito da Secretaria de Segurança para reprimir a liberdade de cátedra, constranger publicamente uma professora e “mandar recado” a quem não aceita a imposição reacionária

    >