Wilson Witzel, que festeja com Bolsonaro e fascistas, tem um filho transexual. Como pode?

Por Jornalistas Livres

Filho do candidato a governador, Erick Witzel tem 24 anos Foto: reprodução/ youtube

Wilson Witzel (do PSC), que teve maior número de votos para o governo do Rio de Janeiro, cresceu eleitoralmente na reta final do primeiro turno graças a suas declarações de apoio a Jair Bolsonaro. No vídeo que se vê neste post, ele aparece no palanque de campanha, em Petrópolis, estusiasmado, em companhia dos então candidatos a deputado federal Daniel Silveira e deputado estadual Rodrigo Amorim.

Os dois fortões ficaram tristemente famosos depois que arrancaram e destruíram uma placa em homenagem à vereadora assassinada Marielle Franco. No vídeo, a platéia fascista urra e vaia Marielle, gritando “Mito, Mito, Mito”. Amorim, de camiseta escura, promete “sentar o dedo [atirar] nesses vagabundos”, referindo-se à esquerda e ao PSOL, o partido de Marielle.

Witzel, que quer governar o Rio, tripudia sobre o corpo sem vida de Marielle Franco, mulher negra, lésbica, favelada. Ele alinha-se com Bolsonaro, que é um defensor de que os pais espanquem filhos gays, para “corrigi-los”.

Mas Witzel precisa explicar para todo o povo do Rio de Janeiro e do Brasil como é que ele consegue posar festivamente com os homens que pisoteiam a memória de Marielle Franco e depois olhar no olhos de seu filho Erick Witzel, um menino transexual de 24 anos, chef de cozinha, vegano e empreendedor.

Como é que ele não percebe que o fascismo de Bolsonaro e suas hienas violentas odeia o menino Witzel, a quem se refere como “degenerado”, “deformado moral” ou “aberração”? Ou ele percebe?

Como é, juiz Wilson Witzel, que é possível amar o filho e confraternizar com quem o odeia?

Em tempo:

1. Daniel Silveira e Rodrigo Amorim foram eleitos neste domingo.
2. Marielle vive para sempre em nossos corações e na nossa luta!

Mais informações sobre Erick Witzel aqui: https://extra.globo.com/famosos/filho-de-witzel-candidato-ao-governo-do-rio-lamenta-resultado-das-eleicoes-dia-triste-23141004.html

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.

Categorias
#EleNãoDemocraciaDestaquesDireitos HumanosFeminicídioGeralJusticaLésbicasLGBTMachismo e misoginiaMarielle FrancoMarielle viveviolência

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish