São Paulo vai mostrar que é maior do que Bolsonaro!

O último ato na avenida Paulista. O de hoje vai ser maior!
O último ato na avenida Paulista. O de hoje vai ser maior!

Pela primeira vez, desde a Campanha das Diretas Já, em 1984, uma ampla frente de forças políticas, movimentos sociais e artistas estarão juntos, em torno de uma única bandeira, aquela em que se lê: #ForaBolsonaro De Bolsonaro já boa parte do povo sabe: ele é o escândalo, a fome, o desemprego, o golpismo, a imoralidade no trato da coisa pública, a falta de educação, o fascismo, o desamor pela vida do povo brasileiro. Chegou a hora de dizer que nós, o povo, somos muito melhores do que isso. Chegou a hora de dizer um grande BASTA! Hoje é dia de ir pra rua!

Nada menos do que 21 partidos estarão representados na avenida Paulista, em São Paulo, onde ocorrerá a maior manifestação deste sábado, 2 de outubro: Cidadania, DEM, MDB, PC do B, PDT, PL, Podemos, Solidariedade, PSD, PSB, PSDB, PSL, PSOL, PT, PV, Rede, UP, PCB, PSTU, PCO e Novo.

Também comprometeram-se com o sucesso do ato a Central de Movimentos Populares, UNE, MST, MTST, Coalizão Negra por Direitos, Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, movimento Acredito, e todas as grande centrais sindicais do País: CUT, Força Sindical, UGT, CTB, NCST, CSB, CSP-Conlutas, Intersindical Central da Classe Trabalhadora, Intersindical Instrumento de Luta e Pública.

Para garantir que o ato transcorra da maneira mais tranquila possível e permitir que o máximo de pessoas faça uso da palavra, a organização elaborou um mapa inédito para a disposição de 10 carros de som na avenida Paulista, entre o cruzamento da Pamplona até a rua da Consolação. O palanque principal ficará no cruzamento da rua Professor Otávio Mendes, ao lado do Masp (Museu de Arte de São Paulo).

Agora, preste atenção: vai ter muita gente discursando no ato. O espírito é de união. Todas as forças democráticas precisam estar juntas para que esta manifestação seja vitoriosa e de fato ajude a mostrar para todo o Brasil e o mundo que é preciso derrubar Bolsonaro.

Mas você também poderá se manifestar, levando faixas e cartazes, expressando sua revolta com Bolsonaro e seus sonhos para o País. Pode fazer à mão, numa cartolina, ou do jeito que preferir. A organização da Campanha #ForaBolsonaro lembra que todas as pessoas e famílias que forem à avenida Paulista devem continuar seguindo as medidas de proteção à Covid-19, com uso de máscara e de álcool em gel, além de manter o distanciamento social.

A seguir, veja a ordem dos discursos. E veja a amplitude da frente democrática que se conseguiu construir:

O protesto começa às 13h, com a realização de um ato ecumênico. Na sequência, haverá falas de Neca Setúbal (vídeo), Wagner Pires (Agir36), Edmilson Costa (PCB) e de representantes da Frente Povo Sem Medo, PCO e Frente Brasil Popular.

No bloco seguinte estarão Eduardo Moreira (Somos 70%), Leonardo Péricles (UP), Simone Nascimento (Movimento Negro Unificado e Coalização Negra por Direitos), Tabata Amaral (PSB e Acredito) e representantes de Direitos Já e novamente da Frente Povo Sem Medo.

O terceiro bloco terá José Carlos Dias (Comissão Arns), Vera Lúcia (PSTU), Penna (PV), Fabio Trad (deputado federal PSD-MS em vídeo), Luciana Santos (PC do B e vice-governadora de Pernambuco), Talíria Petrone (deputada federal PSOL-RJ) e João Paulo Rodrigues (MST e Frente Brasil Popular).

O jornalista Juca Kfouri (ABI e Esporte pela Demcracia) abrirá o bloco seguinte, que contará com Gleisi Hoffmann (deputada federal PT-PR), José Nelto (deputado federal Podemos-GO), Paulo Pereira (deputado federal Solidariedade-SP), Junior Bozella (deputado federal PSL-SP) e representantes do movimento estudantil.

As centrais sindicais se pronunciam após esse bloco: José Gozze (Pública Central do Servidor), Emanuel Melato (Intersindical), Edson Carneiro Índio (Intersindical), Atnágoras Lopes (CSP-Conlutas), José Reginaldo Inácio (NCST), Adilson Araújo (CTB), Antonio Neto (CSB), Ricardo Patah (UGT), Miguel Torres (Força Sindical) e Sérgio Nobre (CUT). Depois, haverá uma intervenção por parte da comunidade indígena.

As falas são retomadas com Guilherme Boulos (PSOL), Claudia Regina (Associação da Parada do Orgulho LGBT-SP), Alessandro Molon (deputado federal PSB-RJ e líder da oposição na Câmara dos Deputados), Heloísa Helena (Rede), Carlos Siqueira (PSB), Marcelo Ramos (deputado federal PL-AM e vice-presidente da Câmara dos Deputados em vídeo), Randolfe Rodrigues (senador Rede-AP e líder da oposição no Senado) e Fernando Haddad (PT).

Artistas farão uma homenagem às famílias das vítimas da Covid-19, antes do último bloco, que reunirá Manuela D´Ávila (PC do B), Marcelo Freixo (deputado federal PSB-RJ e líder da minoria na Câmara dos Deputados), Luiz Henrique Mandetta (DEM e ex-ministro da Saúde em vídeo), Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (senadora MDB-MS em vídeo), Alessandro Vieria (senador Cidadania-SE), Juliano Medeiros (PSOL), Douglas Belchior (Coalizão Negra por Direitos), Raimundo Bonfim (Frente Brasil Popular e Central de Movimentos Populares), Fernando Guimarães (Direitos Já) e representante da Frente Povo Sem Medo.

O encerramento do ato #ForaBolsonaro será com o Hino Nacional. A organização da Campanha #ForaBolsonaro lembra que todas as pessoas e famílias que forem à avenida Paulista devem continuar seguindo as medidas de proteção à Covid-19, com uso de máscara e de álcool em gel, além do distanciamento social.


SERVIÇO da av. Paulista

Ato nacional por #ForaBolsonaro 2 de outubro (sábado), às 13h Em São Paulo: MASP (avenida Paulista) FIQUE POR DENTRO – Informações sobre a movimentação dos atos pelo país neste sábado (2/10) poderão ser obtidas no site, no link, no mapa GPS https://bit.ly/Mapa02OutForaBolsonaro, no Instagram  

COMENTÁRIOS

  • POSTS RELACIONADOS

    Se não vos fizerdes como crianças

    Se 3 de julho assistiu a volta das cabeças brancas às manifestações, o 2 de outubro recebeu na Avenida Paulista aqueles com pouco mais de 12 anos, já com uma dose no braço, e mesmo os menores que ainda aguardam a liberação da vacina

    >