PF investiga suspeitos de fraudar registros de CACs para comércio ilegal de armas

Segundo a PF, os suspeitos fraudavam os registros de CACs para adquirirem as armas, que eram vendidas nas redes sociais
Armas apreendidas na operação da PF. Imagem/Reprodução: Ascom
Armas apreendidas na operação da PF. Imagem/Reprodução: Ascom

A Polícia Federal iniciou nesta sexta-feira (21/10) uma investigação contra suspeitos de fraudarem o registro de Colecionadores, Atiradores Desportivos e Caçadores (CACs) para realizarem a compra e venda de armas ilegais. Os estados de Alagoas, Manaus, Pernambuco e São Paulo são alvos da operação. 

Os suspeitos são investigados pela prática de falsidade ideológica para comércio e porte ilegal de armas. Segundo a Polícia Federal, os suspeitos fraudavam os registros de CACs para conseguirem adquirir as armas. Em seguida, elas eram vendidas ilegalmente pelas redes sociais. 

Ao todo, foram emitidos quatro mandados de prisão preventiva, 37 mandados de busca e apreensão, bloqueio de dinheiro, sequestro de bens adquiridos a partir de 2019 e 11 ordens de suspensão das atividades de natureza econômica de pessoa jurídica. Até agora, a investigação já resultou em prisões nos estados de Alagoas e Manaus.

Em Maceió, a operação ocorreu em uma loja de armas, que fica localizada dentro de um clube de tiro. Um funcionário que trabalhava em um clube de tiros investigado em Caruaru (Pernambuco) antes de se mudar para a capital do Alagoas foi preso. 

A Polícia Federal apreendeu documentos e computadores em Maceió. Imagem/Reprodução: Nick Marone/TV Gazeta

Os investigados ainda usavam pessoas jurídicas para produzir entrevistas e conteúdos a respeito das armas. O material era divulgado através da internet. Também eram realizadas propagandas ilegais para estimular a compra e o uso indiscriminado das armas.

Segundo a legislação brasileira, os CACs (sigla para colecionadores, atiradores e caçadores) são aqueles cidadãos que, sem antecedentes criminais e com habilitação de manuseio e disparo, têm o direito à posse de arma e de munição para realizar tiro esportivo, caça e/ou adquirir o objeto apenas para colecioná-lo. Os CACs podem adquirir desde revólveres a fuzis de repetição. Os indivíduos registrados como atiradores podem ter até 60 armas. As pessoas categorizadas como caçadores podem ter até 15 armas potentes. Já os indivíduos que colecionam armas não têm limite de quantidade especificado.

Arma apreendida na operação da Polícia Federal. Imagem/Reprodução: Ascom/PF

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS