Professor do Mato Grosso do Sul xinga nordestinos em aula e será investigado

Alunos gravaram áudio de 30 minutos com falas do professor contra nordestinos e o presidente eleito Lula
Instituto Federal do Mato Grosso do Sul (IFMS). Foto/Reprodução
Instituto Federal do Mato Grosso do Sul (IFMS). Foto/Reprodução

Nesta quinta-feira (03), o Instituto Federal do Mato Grosso do Sul (IFMS) deu início a um processo de sindicância para investigar as falas de um professor do Campus de Nova Andradina. As declarações do docente continham graves ofensas contra nordestinos e homossexuais, apologia à ditadura militar e questionamento do resultado da eleição presidencial. 

O professor dava aula para menores de idade, estudantes entre 15 e 17 anos, que gravaram um áudio de cerca de 30 minutos com parte desses discursos. Com isso, os alunos denunciaram o caso e levaram as provas para os diretores da unidade. 

“Desculpe-me quem é descendente de nordestino, desculpe-me, mas pra mim podem morrer de fome e sede. Desculpe-me, podem falar para o diretor, podem me meter um processo administrativo e falar o que quiserem comigo, mas não estou mais me importando”, fala em meio a aula para alunos. Também ataca a comunidade LGBTQIA+ ao declarar que não gosta de ficar perto de gays. 

O professor ainda mente a seus alunos, dizendo que Luiz Inácio Lula da Silva, o novo presidente do Brasil, teria ido até o Presídio Federal de Porto Velho agradecer o apoio dado por Marcos Camacho – conhecido como Marcola – o líder do Primeiro Comando Capital (PCC).

O Instituto Federal do Mato Grosso do Sul afirmou, em nota, que os fatos em questão já estão sendo apurados. “A direção-geral do Campus Nova Andradina já iniciou os trâmites para que a instituição apure a conduta do professor por meio da Comissão Ética e do Núcleo de Apoio à Correição” disse o Instituto.

Leia a declaração do IFMS na íntegra:

A instituição reforça que não compactua com discursos antidemocráticos, preconceituosos e de ódio. Ao tomar conhecimento do fato, o IFMS esclarece que:

  1. A Direção-Geral do Campus Nova Andradina já iniciou os trâmites para que a instituição apure a conduta do professor por meio da Comissão de Ética e do Núcleo de Apoio à Correição (Nurei).
  2. A instituição de ensino, que tem como valores a ética, a transparência e o compromisso social, preza pela liberdade de opinião, mas não compactua com discursos antidemocráticos, preconceituosos e de ódio.
  3. Por fim, o IFMS reforça sua missão, que é a de promover a educação de excelência por meio do ensino, pesquisa e extensão nas diversas áreas do conhecimento técnico e tecnológico, formando profissional humanista e inovador, com vistas a induzir o desenvolvimento econômico e social local, regional e nacional.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Capa

Os inimigos do governo Lula

Os inimigos do governo Lula já fazem perceptível sua presença dentro e fora do governo, instalados em posições importantes.