Pastor de igreja em Xinguara (PA) coage fiéis a votar em Bolsonaro

Durante culto, o pastor Valmir Rosa Dias usou frases como “Deus está de olho em você” para amedrontar e pressionar os fiéis além obrigá-los a gritar que “estão com Bolsonaro”
Imagens da gravação postada no YouTube
Imagens da gravação postada no YouTube

O Jornalistas Livres receberam uma denúncia anônima de assédio eleitoral e coação dentro da Assembléia de Deus Nação Madureira, na cidade de Xinguara – sul do Pará . Em um discurso recheado de falas racistas e homofóbicas, Valmir Rosa Dias (líder da igreja) ameaçou os “esquerdistas” que estivessem presentes no culto afirmando que “Deus está de olho”. Valmir é presidente de um tal de CADEX – Campo das Assembleias de Deus de Xinguara (CADEX). Na denúncia, é relatada a extrema tristeza de alguns frequentadores da igreja – que durante as eleições passaram a ter que conviver com esse tipo de discurso em um lugar sagrado para eles. 

Confira em vídeo:

O sequestro de cultos evangélicos, transformados em palanques políticos, se tornaram cada vez mais frequentes nas eleições deste ano. Ao invés de zelar pelo conforto espiritual dos seus fiéis, pastores bolsonaristas usam os cultos para pedir votos e Jair Messias Bolsonaro, e chegam a associá-lo a um “enviado” de Deus

O novo caso de assédio eleitoral dentro de igrejas foi registrado em Xinguara, município localizado no Sul do Pará que conta com cerca de 45 mil habitantes sendo que 12 mil são evangélicos (segundo o censo de 2010). Em vídeo registrado pela própria instituição e postado no YouTube, é registrado um dos momentos em que o Pr. Valmir coage os fiéis. Uma das gravações começa com Valmir perguntando ao público da igreja se “tem alguém da esquerda aí?”. 

Mais pra frente o pastor comenta que a questão abordada não é sobre Lula ou Bolsonaro, “é sobre ser cristão”. Contudo, no final do culto, o pastor, acompanhado de outros membros da CADEX, obriga os fieis a gritar em alto e bom som: “A CADEX está com Bolsonaro e dia 30 é 22” para que a manifestação fosse gravada pelo celular de um assessor.

No mesmo culto, ao se referir à esquerda, o líder evangélico profere frases racistas, homofóbicas e mentirosas. Ele diz que: “os boiolas já estão invadindo os banheiros das mulheres” e que as manifestações feitas pela esquerda brasileira conta com o “povo do cabelão arrepiado, do brincão, das tatuagens e dos shortinhos no meio da ‘poupa da bunda’”. 

Valmir Rosa também publicou um vídeo no início de 2020, período marcado por ser um dos pontos mais altos da COVID-19, em que diz que havia “determinado” que o vírus não iria atingir os fiéis da igreja. Além disso, ele também comenta que os governantes que se posicionaram contra a aglomeração durante a pandemia não conheciam Deus. 

No vídeo que foi enviado ao Jornalistas Livres, o pastor diz que Deus está de olho nos eleitores e nas escolhas que serão tomadas por eles, além disso, ele reforça que qualquer membro ou dirigente da igreja que tivesse um posicionamento “esquerdista” iria perder o seu cargo na instituição. 

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Lula e Xi: por nova ordem mundial

Coincidência vai além do terceiro mandato e é vista em discurso que desenha uma nova configuração da forças politicas no mundo, onde o protagonismo pode

Craque dentro e fora do campo

O centroavante Richarlison ganhou cerca de 4 milhões de seguidores em seu Instagram após fazer os dois gols na vitória do Brasil contra a Sérvia.