Caravana a Brasília

A caravana a Brasília
Qualquer coisa de maravilha
Que eu pude experimentar
Foi um sonho, foi vivência
Uma libertária experiencia
Com o meio popular

Lindo povo do agitamento
Presente do encantamento
Dos Movimentos Sociais
Foi dizer não às trapaças
Das armações, das farsas
Teatrais, globais

Fomos em ritmo de alegria
Na harmonia da cantoria
Com muita fé
Defender nossa Presidenta
Pois o povo tudo enfrenta
E não é arredar o pé

Nós vimos lá em Brasília
Uma cambada, quadrilha
Mentindo em rede nacional
Se ganhou o primeiro embate
Estamos vivos no combate
Venceremos no final

Se nós fomos derrotados?
Não! Com ânimos redobrados
Jamais iremos desistir
A verdade sempre triunfa
A gente não TEMER bufunfa
Globo e Cunha vão cair

E por falar em derrota
Isso pouco nos importa
De Che é muito bom lembrar:
É de derrota em derrota
Que vamos rompendo portas
Até a justiça triunfar

Apesar da dor da tristeza
O retorno foi, com certeza
Tranquilidade geral
Além da multiplicidades
Vivenciamos solidariedade
E análise conjectural

Desta viagem a Brasília
Lindo foi ver a partilha
Tradução do verbo amar
Vi troca de conhecimentos
O dividir dos alimentos
Um verdadeiro socializar

Ao ver um alegre ambiente
Até me senti adolescente
Entre jovens lindos demais
Grande abraço ao Apolônio
Um companheiro dos sonhos
Irmão de guerra, de paz

Pra não gerar ciumeiras
Cito só uma companheira
Nas saudações finais aqui
Minha belíssima idealista
Professora jornalista
Te amo querida Vivi

Na nossa caravana do Pará tinha um poeta popular. Abençoados os poetas que tornam nossa jornada mais leve.

Jetro Fagundes
Farinheiro do Marajó e de Ananin

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS