STF, descriminalização e o direito à liberdade

Reunindo quase três mil manifestantes aconteceu neste domingo na capital federal, a 15• edição da Marcha da Maconha. Este ano o tema da Marcha foi ” Pelo fim do extermínio do povo preto e dos povos originários” reforçando a importância de compreender que a guerra às drogas não atingem a população brasileira igualmente, e sim, incide sobre as populações marginalizadas.

Por: Marcha da Maconha – Brasília DF

Quando falamos em extermínio, em sua maioria da população negra e indígena, entendemos que este debate também passa pela política antidrogas, que no fundo só penaliza um lado.

A Marcha da Maconha-DF 2023, saiu da na Esplanada dos Ministérios – na frente do Ministério do Meio Ambiente – e foi até a FUNARTE, onde se encontrou com o grupo de Fanfarra Pedra Fundamental.

Durante o percurso estiveram presentes artistas, parlamentares como os deputados Fábio Félix , Max Maciel, Gabriel Magno, pacientes clínicos, crianças, ativistas, famílias etc. Pessoas reunidas em prol da abertura do debate com o restante da sociedade sobre o uso da Maconha no Brasil.

Dia 24/5, quarta-feira, chamamos todes a estarem presentes no ato a partir das 15h em frente ao STF para fazer pressão a um resultado favorável pela liberdade dos maconhistas no Brasil. Avante!!

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

PT comete racismo por omissão ao negar vaga a mulher negra no STF

A intelectual Lélia Gonzalez, em 1983, denunciou o PT por praticar o que ela denominou de racismo por omissão, ao negar às pessoas negras espaços de poder dentro das instituições. A denúncia da Lélia Gonzales é atual no momento em que se discute a possibilidade de indicação de uma ministra negra ao STF