Um Baixo Augusta diferente dos anos anteriores

Desde 2009, o bloco do Baixo Augusta desfila pelas principais ruas de SP. Neste ano, os organizadores assumiram uma postura ativista necessária para debater o tema do direito à cidade. Nas ruas, o assunto escolhido foi “A Cidade é Nossa”.

A concentração aconteceu na Rua da Consolação, por volta das 16h, mas pelo menos 1h30 antes, vários foliões vindos de todas as regiões de SP, inclusive dos extremos da periferia, e claro, do entorno da Av. Paulista, já se encontravam em frente ao Cine Belas Artes.

No trio elétrico, lotado de celebridades, um dos organizadores dizia: “queremos um carnaval livre, descentralizado e democrático pela cidade inteira”. O recado foi entendido. Muito diferente do ano passado, onde o bloco reuniu em sua maioria, moradores brancos do centro, jardins e outras áreas nobres da cidade, desta vez, compareceram habitantes de várias regiões de São Paulo.

Na rua, vimos e conversamos com jovens negros de Diadema, da zona sul, da zona leste e de vários extremos da cidade que ali dominavam a cena do Acadêmicos do Baixo Augusta em um lindo contraste que representa legitimamente o povo pobre paulista que trabalha muito, luta diariamente nos ônibus e metrôs lotados e que quase nunca tem oportunidade de participar desse tipo de Carnaval. Segundo os organizadores, estiveram presentes, cerca de 350 mil pessoas.

Primeiramente, a cidade é desse povo mesmo!

Veja imagens.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

O CARNAVAL ESTÁ SEMPRE CERTO!

ARTIGO RODRIGO PEREZ OLIVEIRA, professor de Teoria da História na Universidade Federal da Bahia Ao que tudo indica, neste ano o Carnaval será marcado pela

O carnaval de São Paulo tem Cor?

Se deixarmos que a comercialização prevaleça, para estimular o turismo… Os blocos serão para os ricos… e os pobres serão perseguidos pela GCM por vender