Tenda Maria Aragão garante a saúde do acampa da democracia em Brasilia

Complicações de saúde no Acampamento Nacional pela Democracia e contra o golpe não é problema: dentre as várias brigadas que trabalham pela harmonia do local, uma delas é aquela responsável pelo atendimento médico dos acampados. Com o nome de Tenda Maria Aragão – em homenagem a médica negra e nordestina que se tornou comunista ao estudar Medicina no Rio de Janeiro na década de 1940 – o espaço atende basicamente às ocorrências que acontecem no acampamento, como distúrbios intestinais, gripes e contusões de baixa gravidade.

Etel Matielo é uma das profissionais de saúde que se voluntariou para trabalhar. Cuidadora por formação, desde terça-feira ela cumpre expediente no acampamento auxiliando quem precisa de cuidados médicos. Etel diz que todo o trabalho é voluntário e que boa parte dos medicamentos administrados nos pacientes é proveniente de doações. A outra parte vem de diversos assentamentos espalhados pelo País e é feita com os frutos da terra e o conhecimento acumulado ao longo das gerações no uso medicinal das plantas.

De troncos, raízes, folhas, sementes e outros são produzidos remédios para diferentes moléstias, além de óleos, unguentos e pomadas para uso nos pacientes. Como o clima no DF nesta época do ano tende a ser muito seco, dessa vez também produziram cosméticos naturais para amenizar os efeitos da secura na pele.

Outra que presta atendimento na Tenda Maria Aragão é Ana Lídia, responsável por receber e administrar a medicação em quem procura a brigada de saúde. Ela explica que os preparados são feitos com diversas plantas. Abacaxi, gengibre, coejo e uma infinidade de gêneros cultivados nos assentamentos funcionam como matéria-prima para a produção.

O voluntariado é uma das marcas da brigada de saúde. Etel conta que um dos acampados procurou a tenda em busca de um unguento para aliviar dores no joelho. Após atendimento, disse que poderia ajudar com massagens, já que trabalha como massagista. Desde então, é mais um dos integrantes da equipe, ajudando a “distensionar músculos cansados” com sessões de massagens oferecidas na tenda. “Ainda que fortes e aguerridos, o vasto calendário de atos e mobilizações cobra do nosso corpo”, contextualiza a cuidadora.

E não pára por aí. Uma médica que veio doar panelas, ao tomar conhecimento da Tenda Maria Aragão, também resolveu ficar e fortalecer a equipe. O conceito de saúde enquanto formação e inclusão seduziu a profissional. Nas palavras de Etel, “saúde é a capacidade de resistir ao que nos oprime”, o que evidencia não somente a capacidade de resistência dos acampados, mas a solidariedade que permeia toda a organização e vida em comunidade do Acampamento Nacional pela Democracia e contra o golpe.

COMENTÁRIOS

  • […] Complicações de saúde no Acampamento Nacional pela Democracia e contra o golpe não é problema: dentre as várias brigadas que trabalham pela harmonia do local, uma delas é aquela responsável pelo atendimento médico dos acampados. Com o nome de Tenda Maria Aragão – em homenagem a médica negra e nordestina que se tornou comunista ao estudar Medicina no Rio de Janeiro na década de 1940 – o espaço atende basicamente às ocorrências que acontecem no acampamento, como distúrbios intestinais, gripes e contusões de baixa gravidade. Etel Matielo é uma das profissionais de saúde que se voluntariou para trabalhar. Cuidadora por formação, desde terça-feira ela cumpre expediente no acampamento auxiliando quem precisa de cuidados médicos. Etel diz que todo o trabalho …  […]

  • POSTS RELACIONADOS

    >