SE SOUBESSE

.

Se eu soubesse que a emoção agora é uma estratégia científica de segmentação da comunicação via grupos e dados de grandes redes de varejo, coisa feroz que não ouve o conselho da vovó, amaria não.

Voraz, veloz na saga da perdição dos sonhos. Não deu tempo de entender, entre velhas engrenagens da república e sua legião de macacões e enxadas nas mãos, que o voto se daria via pequenos monitores de celulares, sangrando na rede milhões de dados, como estrelas entre galáxias.

Ah, nosso cometa de esquerda entre a poeira de nossas preces se perdeu. Não nos preocupamos com o tempo e descobrimos a curva na reta de nossas pretensões.

Não faz sentido outras vitórias, mas tem todo sentido nossa derrota.

Penso que a rede é como as raízes das árvores tortas no cerrado, ou tal um solo cheio de paus e cipós em terra amazônica ou atlântica. Esquecemos que nos desafinados também bate um coração. Dormimos no ponto entre tanta prosa e bossa.

Sabedoria é coisa de caatinga.

Categorias
crônica
Um comentário
  • Inácio da Silva
    2 dezembro 2018 at 14:06
    Comente

    Esse fumou todas…

  • Deixe uma resposta

    AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish